Esportes

Vitória dá mais um passo para implantar eleições diretas no clube

A reunião desta segunda-feira aconteceu por determinação da justiça que cancelou a última assembleia - por analisar que ela fugiu do que rege o estatuto do clube - e ordenou uma nova reunião do conselho para se debater todas as emendas propostas para reformar o estatuto.

[Vitória dá mais um passo para implantar eleições diretas no clube]
Foto : Reprodução / EC Vitória Notícias

Por Pedro Sento Sé no dia 01 de Março de 2016 ⋅ 08:34

O Vitória deu mais um passo para implementar as eleições diretas no clube ainda no fim deste ano. Na noite desta segunda-feira, no Barradão, aconteceu a reunião do conselho, onde as emendas propostas para a reforma do estatuto começaram a ser analisadas.

“Durante a reunião, uma das pautas era analisar as emendas que não foram observadas pelo conselho e que foram levadas diretamente para a assembleia geral de sócios", afirmou o Cel. Cristovão Rios, presidente do conselho fiscal, em entrevista ao Metro1.

A reunião aconteceu por determinação da justiça que cancelou a última assembleia - por analisar que ela fugiu do que rege o estatuto do clube - e ordenou uma nova reunião do conselho para se debater todas as emendas propostas para reformar o estatuto. 

Houve muito bate-boca, muitas discussões e por conta disso o presidente do conselho deliberativo do clube, o deputado federal José Rocha (PR) encerrou as atividades perto das 20h. “Eu não sei o que se passa na cabeça dele”, afirmou Rios. “Gostaria que ele se juntasse a nós, que lutasse conosco, por tudo que ele fez de bom pelo clube", continuou. O Metro1 tentou entrar em contato com José Rocha, mas ele não retornou as ligações. Como o estatuto do clube permite que o presidente do conselho fiscal, na ausência do presidente do conselho deliberativo, assuma os trabalhos, a reunião seguiu.

Como nem todas as emendas foram analisadas, uma nova reunião acontecerá no dia 9 de março e depois disso, com as propostas analisadas, o projeto de reforma do estatuto seguirá para a assembleia geral de sócios, em data a ser estabelecida, para que a reforma seja aprovada e somente então será definida a eleição presidencial através do voto direto. 

 

Notícias relacionadas