Esportes

Polícia diz que nadadores americanos forjaram assalto e arranjaram briga no Rio

A Polícia Civil do Rio de Janeiro negou que nadadores olímpicos dos Estados Unidos tenham sofrido assaltos na capital carioca durante os Jogos Olímpicos. Em entrevista coletiva nesta quinta-feira (18), o chefe do departamento, Fernando Veloso, afirmou que os atletas haviam se envolvido em uma confusão num posto de gasolina. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução/Reuters

Por Matheus Simoni no dia 18 de Agosto de 2016 ⋅ 16:35

A Polícia Civil do Rio de Janeiro negou que nadadores olímpicos dos Estados Unidos tenham sofrido assaltos na capital carioca durante os Jogos Olímpicos. Em entrevista coletiva nesta quinta-feira (18), o chefe do departamento, Fernando Veloso, afirmou que os atletas haviam se envolvido em uma confusão num posto de gasolina. Segundo a polícia, os nadadores Ryan Lochte, Jimmy Feigen, Gunnar Bentz e Jack Conger deixaram uma festa nas proximidades da Lagoa Rodrigo de Freitas e pararam num posto de gasolina.

Dois seguranças do local foram chamados pelo gerente do estabelecimento por causa de uma confusão nos fundos do estabelecimento. Lá, encontraram parte do banheiro quebrada e chamaram a polícia. Segundo Veloso, os danos foram feitos pelos próprios nadadores.

"De forma deliberada um ou mais deles começaram a promover atos de vandalismo no banheiro do posto. Eles não foram vítimas dos fatos criminosos que afirmam ter sido", disse ele. De acordo com a versão dos funcionários do posto, os nadadores estavam bêbados e tentaram sair do local em um táxi. O taxista, entretanto, esperou a chegada da Polícia Militar.

Testemunhas afirmaram que o nadador Ryan Locthe, medalhista de ouro no revezamento 4 x 200m livre masculino, era o mais exaltado, sob efeito de bebida alcoólica. "Em tese, eles podem vir a responder por falsa comunicação de crime e dano ao patrimônio", explicou o chefe da Polícia Civil. Ainda segundo Veloso, o FBI está acompanhando as investigações. 

Notícias relacionadas