Esportes

Cerimônia de abertura das Paralimpíadas começa ao som de clássicos da MPB

Os Jogos Paralímpicos tiveram início na noite desta terça-feira (7), através da Cerimônia de Abertura realizada no Maracanã, no Rio de Janeiro, ao som de clássicos do samba e da MPB. Show de fogos e o Hino Nacional tocado ao piano pelo maestro João Carlos Martins, são alguns dos destaques do comecinho da abertura. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Ricardo Stuckert/ CBF

Por Luiza Leão no dia 07 de Setembro de 2016 ⋅ 18:40

Os Jogos Paralímpicos tiveram início na noite desta terça-feira (7). A cerimônia de Abertura, realizada no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, contou com clássicos do samba e da MPB, show de fogos e o Hino Nacional tocado ao piano pelo maestro João Carlos Martins.

Com o objetivo de "tirar a visão" da plateia para estimular outros sentidos, principalmente a audição, a cerimônia buscou aproximar o público da realidade dos esportistas paralímpicos. De acordo com os organizadores, a experiência visa "romper com a ditadura da visão".

Diferentemente do encerramento dos Jogos Olímpicos Rio 2016, a abertura contou com a presença do agora presidente Michel Temer, além da primeira dama Marcela e outros chefes de estado.

Bahia paralímpica

Nos Jogos Paralímpicos Rio 2016 sete atletas da Bahia estarão presentes nas competições. No Futebol de 5, para deficientes visuais, a seleção brasileira conta com três baianos: Cássio, Gledson e Jefinho — já eleito o melhor jogador do mundo em 2010. Atualmente o Brasil é tricampeão paralímpico, bicampeão mundial e não perde uma competição nessa modalidade desde o ano de 2006.

A veterana na natação Verônica Almeida, é outra representante baiana nas competições. Já participante de dois Jogos Paralímpicos com o bronze no Pan de Toronto nos 50m da classe S7, tem chances reais de ser medalhista. Outras esportistas baianas estão no atletismo: Raíssa Rocha, do dardo na classe F56 — atual vice-campeã mundial — e Tascitha Cruz — 4º nos 100m da T36 no Mundial do Catar, no ano passado. Além delas, Renê Pereira, 5º colocado no Mundial de 2015 de remo é outro baiano participante das Paralimpíadas 2016.

Notícias relacionadas