Esportes

Paraolimpíadas: medalhistas baianos vão ser recebidos por Rui Costa nesta quarta

Três atletas baianos, dos nove que participaram dos Jogos Paraolímpicos Rio 2016, vão ser recebidos pelo governador Rui Costa, nesta quarta-feira (21). O encontro acontece às 15h30, na Sala de Reuniões do prédio da Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB). [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Alaor Filho / MPIX / CPB

Por Camila Tíssia no dia 21 de Setembro de 2016 ⋅ 06:56

Três atletas baianos, dos nove que participaram dos Jogos Paraolímpicos Rio 2016, vão ser recebidos pelo governador Rui Costa, nesta quarta-feira (21). O encontro acontece às 15h30, na Sala de Reuniões do prédio da Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB). Os medalhistas homenageados pelo governo baiano serão: Jefinho, Cássio e Verônica, que também recebe apoio do Estado. 

Três medalhas foram conquistadas para o Estado: um ouro com Jeferson Gonçalves, o Jefinho, e Cássio Lopes, no Futebol de 5; prata para Evânio da Silva no halterofilismo até 88kg e bronze para Edneusa Dorta na maratona classe T12. Raissa Machado e Tascitha Cruz no atletismo, a nadadora Verônica Almeida e o remador Renê Pereira também estiveram presentes, mas não conseguiram subir ao pódio.  

Jeferson conquistou a 3ª medalha de ouro consecutiva em Paralimpíadas, desde Pequim 2008. Cássio, já foi campeão em Londres (2012), e a nadadora Verônica Almeida em Pequim (2008).

Atletas:

Jeferson Conceição Gonçalves (Jefinho) nasceu em 5 de outubro de 1989, em Candeias, e aos 7 anos perdeu a visão em decorrência de glaucoma. 

Cássio Lopes dos Reis é natural de Ituberá e nasceu em 15 de maio de 1989. O zagueiro perdeu a visão aos 14 anos por causa de um deslocamento de retina seguido de catarata. 

Verônica Mauadie de Almeida é soteropolitana enasceu em 15 de maio de 1975. Teve perda de força nos membros inferiores e limitação na rotação do braço direito em 2007, provocado pela Síndrome de Ehlens Danlos. 

Renê Campos Pereira é natural de Itapetinga nasceu no dia 27 de junho de 1980 em Itapetinga. Formado em Medicina (psiquiatria), sempre praticou esporte. Quando fazia residência no Hospital São Rafael, em Salvador, descobriu uma infecção na medula provocada pela bactéria staphylococos, quelhe deixou paraplégico.

Raissa Rocha Machado nasceu em 17 de maio de 1996, em Ibipeba. Teve má formação congênita nas pernas e possui movimentos limitados. 

Tascitha Oliveira Cruz nasceu em Salvador, no dia 30 de janeiro de 1993. Foi prematura e, com isso, adquiriu a encefalopatia bilirrubínica, ficando com paralisia cerebral. 

Notícias relacionadas

[Baianão Feminino: segunda rodada tem chuva de gols]
Esportes

Baianão Feminino: segunda rodada tem chuva de gols

Por Juliana Rodrigues no dia 22 de Outubro de 2018 ⋅ 14:40 em Esportes

Além da goleada do Vitória, que marcou 28 gols em cima do Redenção, as equipes Jequié e Lusaca também balançaram as redes