Justiça

Nova gestão da OAB-BA promete combater 'ineficiência' do Judiciário baiano

Em entrevista à Rádio Metrópole na tarde de hoje (3), o causídico declarou que o primeiro grau do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) é um dos maiores calos do setor

[Nova gestão da OAB-BA promete combater 'ineficiência' do Judiciário baiano]
Foto : Matheus Simoni/Metropress

Por Matheus Simoni e Marina Hortélio no dia 03 de Dezembro de 2018 ⋅ 19:24

O presidente eleito da seccional baiana da Ordem dos Advogados da Bahia (OAB-BA), Fabrício Castro, afirmou que a nova gestão terá como meta o combate ao que chamou de "ineficiência" do Poder Judiciário baiano. Em entrevista à Rádio Metrópole na tarde de hoje (3), o causídico declarou que o primeiro grau do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) é um dos maiores calos do setor.

"A gente já tem feito algumas conversas no âmbito da diretoria para arrumar a casa nos primeiros dias, nomeação das primeira comissões, algumas medidas de mais urgência. Como eu disse em todos os momentos da campanha, nossa meta no próximo triênio será combater a ineficiência no Poder Judiciário. Eu penso que a gente vive um momento muito difícil, é uma quadra muito complicada do Brasil e, especialmente, do Poder Judiciário da Bahia", declarou Castro.

Segundo ele, há uma necessidade de adequar o Judiciário à normas que prezem pela gestão de recursos. Fabrício Castro falou do déficit no número de magistrados sem provimento revelado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). 

"Ou seja, 20 mil servidores precisam ser nomeados para completar o quadro. Se você tem aproximadamente um terço das vagas não preenchidas, no caso dos juízes, como é que você faz uma Justiça eficiente? A solução passa por aí. Tudo que se fizer e se faz muito para resolver os problemas da Justiça na Bahia e não passe pela contratação de juízes e servidores vai ser enxugar gelo. Nós precisamos de fato fazer um trabalho para que a Justiça da Bahia fique integral, em todo o estado da Bahia, no interior e na capital, que as comarcas que foram fechadas voltem", afirmou o presidente eleito. 

Notícias relacionadas

[Gastos com Judiciário chegam a 2% do PIB do país]
Justiça

Gastos com Judiciário chegam a 2% do PIB do país

Por Juliana Rodrigues no dia 02 de Dezembro de 2018 ⋅ 13:00 em Justiça

Segundo especialistas, alto custo se deve ao regime previdenciário da categoria e à grande quantidade de recursos em cada instância