Justiça

Justiça derruba liminar que impedia negociações entre Embraer e Boeing

Com a queda, volta às mãos do presidente da República o poder de avalizar a operação

[Justiça derruba liminar que impedia negociações entre Embraer e Boeing]
Foto : Divulgação/Embraer

Por Leo Sousa no dia 22 de Dezembro de 2018 ⋅ 11:00

Foi derrubada na noite de ontem (21), pela presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, Therezinha Cazerta, a liminar que suspendia negociação da venda do controle da aviação comercial da Embraer para a Boeing.

A decisão atende a um pedido da AGU (Advocacia-Geral da União), que argumentava que a liminar feria o princípio constitucional da livre iniciativa, já que se trata de negociação entre duas empresas privadas.

Como defendido pela AGU, segundo a qual a suspensão agride o princípio da separação dos Poderes, com a queda da liminar, volta às mãos do presidente da República o poder de avalizar a operação.
 

Notícias relacionadas

[Moraes avalia ampliar varas colegiadas para crime organizado]
Justiça

Moraes avalia ampliar varas colegiadas para crime organizado

Por Marina Hortélio no dia 07 de Janeiro de 2019 ⋅ 13:00 em Justiça

Proposta vai ser debatida em fevereiro durante encontro nacional, do qual participarão juízes criminais, juízes de execução penal e juízes corregedores de presídios

[MP pede que Google retire do ar vídeos de youtubers mirins]
Justiça

MP pede que Google retire do ar vídeos de youtubers mirins

Por Clara Rellstab no dia 02 de Janeiro de 2019 ⋅ 11:20 em Justiça

O promotor Eduardo Dias notificou empresas que aderiram à prática para tentar um acordo em que elas se abstenham de fazer propaganda disfarçada por meio de influenciadore...

[Conselho Nacional de Justiça finaliza 804 julgamentos em 2018]
Justiça

Conselho Nacional de Justiça finaliza 804 julgamentos em 2018

Por Alexandre Galvão no dia 27 de Dezembro de 2018 ⋅ 10:00 em Justiça

O CNJ esclarece, em nota, que no relatório não foram incluídos os processos julgados na 51ª Sessão Extraordinária, ocorrida no dia 18 de dezembro, no plenário do órgão