Justiça

Após exoneração, Queiroz continuou atuando no gabinete de Flávio Bolsonaro

Foram rastreadas conversas entre Queiroz e Danielle da Nóbrega, ex-mulher de Adriano Nóbrega, um dos milicianos mais procurados do Rio

[Após exoneração, Queiroz continuou atuando no gabinete de Flávio Bolsonaro]
Foto : Reprodução/ SBT

Por Danielle Campos no dia 06 de Setembro de 2019 ⋅ 18:40

Rastreadas pelo Ministério Público, conversas por whatsapp entre Queiroz e Danielle da Nóbrega, ex-mulher de Adriano Nóbrega, um dos milicianos mais procurados do Rio de Janeiro, apontam que após exoneração do cargo, o ex-assessor de Flávio Bolsonaro seguia atuando no gabinete e tomando decisões em nome do parlamentar.  

Os diálogos foram captados pelo Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), na operação 'Os Intocáveis'. Como apontam as conversas, Queiroz informou à assessora que ela havia sido exonerada em 6 de dezembro de 2018, mesmo dia que foram reveladas movimentações "atípicas" em suas contas bancárias. Queiroz ainda sugeriu a Danielle que ela deixasse de utilizar o sobrenome Nóbrega, para não gerar associação do miliciano com o gabinete de Flávio.

O advogado da defesa Paulo Klein, afirmou que Queiroz era procurado pelos assessores por causa da sua influência no local. "Infelizmente, ao que parece, neste momento, todo e qualquer fato é distorcido com vistas a revelar algo supostamente ilícito, quando, em verdade, somente houve trabalho sério, honesto e comprometido." completou. Flávio Bolsonaro não falou sobre o caso.

Notícias relacionadas

[Relator diz que votará a favor de Aras para a PGR]
Justiça

Relator diz que votará a favor de Aras para a PGR

Por Juliana Almirante no dia 17 de Setembro de 2019 ⋅ 07:25 em Justiça

Segundo Eduardo Braga (MDB-AM), o subprocurador baiano prometeu deixar o escritório Aras Advogados Associados e entregar a carteira profissional à OAB