Mundo

Agência europeia cria grupo para estudar vacina contra o zika

O Brasil é o país mais afetado pela epidemia de zika, com 1,5 milhão de pacientes, seguido pela Colômbia, com 22,6 mil casos.

[Agência europeia cria grupo para estudar vacina contra o zika]
Foto : Divulgação / OMS

Por Milene Rios no dia 09 de Fevereiro de 2016 ⋅ 08:09

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) anunciou nessa segunda-feira (9) a criação de um grupo de especialistas em zika com o objetivo de acelerar o desenvolvimento de tratamentos ou vacinas contra o vírus, que causou uma epidemia na América Latina.

"Atualmente, não existe nenhuma vacina ou tratamento para a infecção pelo vírus da zika que tenha recebido a aprovação das autoridades sanitárias ou que seja alvo de testes clínicos", destaca um comunicado da agência europeia.

A decisão de criar um grupo de especialistas se deu depois que a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou a epidemia de "emergência de saúde pública de alcance mundial", em 1º de fevereiro.

O grupo de especialistas terá como missão favorecer a pesquisa de medicamentos contra o zika, formulando opiniões sobre questões científicas e regulamentares.

A EMA deve entrar em contato com as empresas que já começaram a trabalhar em tratamentos ou vacinas e revisar todos os novos dados sobre o vírs, para permitir uma reação rápida frente à crise de saúde pública.

O Brasil é o país mais afetado pela epidemia de zika, com 1,5 milhão de pacientes, seguido pela Colômbia, com 22,6 mil casos.

Notícias relacionadas

[Relatório aponta contatos de Trump com a Rússia]
Mundo

Relatório aponta contatos de Trump com a Rússia

Por Matheus Simoni no dia 18 de Abril de 2019 ⋅ 14:00 em Mundo

No entanto, o relatório, de 448 páginas, concluiu que o presidente americano não teve envolvimento direto no conluio feito com o governo da Rússia para interferir nas ele...

[Ex-presidente do Peru morre após atirar em si mesmo]
Mundo

Ex-presidente do Peru morre após atirar em si mesmo

Por Juliana Almirante no dia 17 de Abril de 2019 ⋅ 12:20 em Mundo

Ele deu um tiro na própria cabeça, após ordem de prisão por envolvimento em caso de corrupção ligado à empreiteira brasileira Odebrecht