Mundo

Venezuela confirma três mortes por complicações ligadas ao Zika

Três pessoas morreram na Venezuela por complicações de saúde ligadas ao vírus Zika. O fato foi confirmado nessa quinta-feira (11) pelo presidente Nicolás Maduro, em declarações à televisão estatal. Segundo Maduro, há 319 casos confirmados no país. “Infelizmente tivemos três mortes por Zika em todo o país”, afirmou. [Leia mais...]

[Venezuela confirma três mortes por complicações ligadas ao Zika]
Foto : Reprodução / Agência Brasil

Por Camila Tíssia no dia 12 de Fevereiro de 2016 ⋅ 06:58

Três pessoas morreram na Venezuela por complicações de saúde ligadas ao vírus Zika. O fato foi confirmado nessa quinta-feira (11) pelo presidente Nicolás Maduro, em declarações à televisão estatal. Segundo Maduro, há 319 casos confirmados no país. “Infelizmente tivemos três mortes por Zika em todo o país”, afirmou.

As autoridades sanitárias suspeitam que o Zika, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, seja a causa de numerosos casos de deformações congênitas em bebês cujas mães foram contaminadas durante a gravidez. O Brasil é atualmente o país mais atingido no mundo pela epidemia de Zika, com 1,5 milhão de doentes e três mortes confirmadas, seguindo-se a Colômbia, com 22.600 casos, de acordo com publicação da Agência Brasil.

No dia 1º de fevereiro, a Organização Mundial da Saúde considerou que o recente aumento de casos de microcefalia e de desordens neurológicas em bebês na América Latina constitui emergência de saúde pública de alcance internacional e que há forte suspeita de que o aumento dos casos seja causado pelo vírus Zika.

A microcefalia é um distúrbio de desenvolvimento fetal que resulta em um perímetro do crânio abaixo do normal, com consequências no desenvolvimento do bebê. O vírus Zika também é suspeito de causar a síndrome neurológica de Guillain-Barré, que pode causar paralisia definitiva.

Notícias relacionadas

[China promete retaliar novas tarifas dos EUA]
Mundo

China promete retaliar novas tarifas dos EUA

Por Matheus Simoni no dia 18 de Setembro de 2018 ⋅ 12:00 em Mundo

A medida levanta o risco de que o presidente Donald Trump possa em breve adotar taxas sobre praticamente todos produtos chineses que o país compra