Mundo

Mário Kertész comenta viagem a Budapeste: "Patrimônio histórico extraordinário"

Ao retornar à Rádio Metrópole nesta segunda-feira (29) após viajar à Hungria, Mário Kertész comentou a sua estadia no país. Ele encontrou um guia, que era professor universitário e havia estudado português.

[Mário Kertész comenta viagem a Budapeste:
Foto :

Por Juliana Almirante no dia 29 de Junho de 2015 ⋅ 12:19

Ao retornar à Rádio Metrópole nesta segunda-feira (29) após viajar à Hungria, Mário Kertész comentou a sua estadia no país. Ele encontrou um guia, que era professor universitário e havia estudado português. Após Mário contar que pretendia visitar a casa onde o avô morava, o guia disse que o pai dele nasceu lá. O professor se surpreendeu ao reconhecer Mário e afirmou que o admirava pelo trabalho na rádio. “Foi uma coisa extraordinária”, lembrou Mário.

“Um abraço muito alegre de estar aqui de novo, na minha terra querida, que apesar dos pesares continua fazendo com que eu seja um apaixonado. Apesar dos pesares, da crise política, da sujeira e dos buracos, da crise econômica e moral, da corrupção, de a gente ouvir falar mal dela no exterior”, cumprimentou Mário aos ouvintes.

Mário conta que, na viagem, voltou à terra do seu pai, que saiu do país em 1935, por conta da presença marcante do nazismo, para o Brasil, onde constituiu família. "Que cidade linda, com o patrimônio histórico extraordinário", comenta Mário. Budapeste é conhecida como “walking city”. "Dá para fazer tudo a pé. (…) O povo é alegre, feliz da vida. Não tem nenhum problema de segurança, não se vê um buraco na rua”, elogiou. Ouça aqui o comentário na íntegra.

 

Notícias relacionadas

[Sobe para 446 o nº de mortos após ciclone em Moçambique]
Mundo

Sobe para 446 o nº de mortos após ciclone em Moçambique

Por Aline Reis no dia 24 de Março de 2019 ⋅ 08:00 em Mundo

Ministro do meio ambiente do país afirma que 531 mil pessoas foram afetadas, sendo 110 mil no campo. Outras 259 pessoas morreram no Zimbábue e 56 pessoas, no Malaui.