Mundo

Baiana relata ao Metro1 momentos de tensão durante terremoto na Itália

A leitora do Metro1 Paloma Del Sarto relatou ter passado por momentos de tensão durante um terremoto que atingiu a Itália nesta quarta-feira (24). Ao todo, 120 pessoas morreram e outras 360 ficaram feridas, segundo as autoridades italianas. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução/Getty Images

Por Matheus Simoni no dia 24 de Agosto de 2016 ⋅ 17:02

A leitora do Metro1 Paloma Del Sarto relatou ter passado por momentos de tensão durante um terremoto que atingiu a Itália nesta quarta-feira (24). Ao todo, 120 pessoas morreram e outras 360 ficaram feridas, segundo as autoridades italianas.

Natural de Jequié, Paloma morou na região há 23 anos em Porto Sant'Elpidio, uma comuna italiana da região dos Marche, na província de Fermo. Após retornar ao país há quatro anos atrás, ela seguiu visitando a região durante o verão europeu. "Eram 3h30 da manhã quando aconteceu o primeiro tremor", disse ela. "São 23 anos que moro aqui e nunca tinha sentido tremores tão fortes. Os objetos começaram a cair. Foi terrível."

Segundo ela, os hospitais da região se encontram lotados e muitos voluntários passaram a circular nos locais para tentar ajudar os feridos. "O terremoto atingiu as regiões de Umbria , Marche e Lazio. O perigo ainda não passou, a região ainda está em estado de alerta", contou.

Em Sant'Elpidio, seria realizado o festival 'Sagra degli Spaghetti all'Amatriciana', um evento gastronômico que reuniria centenas de apreciadores da comida italiana entre 27 e 28 de agosto. Paloma conta que muitas casas foram alugadas para esse festival. "Iríamos amanhã para lá. Mas ainda não tem o número de pessoas resgatadas e nem de turistas que sobreviveram. Mas há muitos mortos e feridos, é uma coisa muito grave. A cidade praticamente foi dizimada. Uma coisa horrível, ainda estou em estado de choque pelo que aconteceu. Aqui em casa sentimos os tremores, tudo balançava. Temos medo de sair para as ruas e descer as escadas. Graças a Deus as coisas estão se acalmando agora", disse ela.

Ainda segundo Paloma, as emissoras da Itália estão comparando a tragédia ao terremoto de Umbria e Marche, em 1997. Na ocasião, 11 pessoas morreram, 100 ficaram ferida e cerca de 80 mil casas foram danificadas. "A destruição foi maior porque muitas casas são antigas. É uma região de montanhas, elas ficam no alto e não perto do mar", contou. "De onde eu moro para Roma, é 1 hora 40 minutos de distância. As autoridades pedem que as pessoas não peguem essa estrada para Roma, porque é exatamente o trajeto onde passa próximo por Matrice. Eles pedem que as pessoas não vão para que a estrada fique livre para os socorros."

Notícias relacionadas