Mundo

Brexit: Reino Unido solicitará formalmente saída da UE em 29 de março

A primeira ministra britânica Theresa May vai solicitar formalmente a saída do Reino Unido da União Europeia (UE) no próximo dia 29, de acordo com a confirmação de um porta-voz do governo em Londres, anunciada nesta segunda-feira (20). [Leia mais...]

[Brexit: Reino Unido solicitará formalmente saída da UE em 29 de março]
Foto : Mattias Nutt / World Economic Forum

Por Laura Lorenzo no dia 20 de Março de 2017 ⋅ 19:51

A primeira ministra britânica Theresa May vai solicitar formalmente a saída do Reino Unido da União Europeia (UE) no próximo dia 29, de acordo com a confirmação de um porta-voz do governo em Londres, anunciada nesta segunda-feira (20).

May informará ao Conselho Europeu, por meio de uma carta, sua intenção de ativar o artigo 50 do Tratado de Lisboa, que permite a um país sair da UE depois de dois anos de negociações. "Em junho passado, o povo britânico tomou a histórica decisão de abandonar a UE. E no próximo dia 29 o governo apresentará essa decisão e começará formalmente o processo de saída, invocando o artigo 50", disse David Davis, ministro inglês para o "Brexit", em um comunicado.

O Conselho Europeu confirmou que recebeu a notificação a respeito. "Fomos informados com antecipação", disse a porta-voz Margaritis Schinas, que mostrou a disposição do bloco de iniciar as negociações. "Estamos esperando a carta, agora que sabemos que virá em 29 de março”, disse.

Notícias relacionadas

[Acaba o confinamento em Wuhan, primeiro epicentro da Covid-19]
Mundo

Acaba o confinamento em Wuhan, primeiro epicentro da Covid-19

Por Kamille Martinho no dia 07 de Abril de 2020 ⋅ 17:00 em Mundo

Apesar dos 11 milhões de residentes poderem sair sem autorização especial, eles precisam ter um aplicativo de telefone que carrega dados sobre sua saúde e seus movimentos

[China registra 1º dia sem mortes por Covid-19]
Mundo

China registra 1º dia sem mortes por Covid-19

Por Juliana Almirante no dia 07 de Abril de 2020 ⋅ 07:20 em Mundo

Situação é inédita desde o início da publicação de estatísticas sobre a epidemia do coronavírus em janeiro