Mundo

Prefeitura de Miami interdita rua e fecha restaurante Soho por dois meses

Apenas três meses depois de ser inaugurado, a filial de Miami do restaurante baiano Soho sofreu um duro golpe. A Prefeitura da cidade americana interditou a região do empreendimento por conta de uma grande obra de mobilidade urbana. As informações são do site Miami New Times. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução/Miami New Times

Por Felipe Paranhos no dia 06 de Agosto de 2015 ⋅ 12:59

Apenas três meses depois de ser inaugurado, a filial de Miami do restaurante baiano Soho sofreu um duro golpe. A Prefeitura da cidade americana interditou a região do empreendimento por conta de uma grande obra de mobilidade urbana. As informações são do site Miami New Times. 

Max Heindl, diretor do Soho Bay — como é chamado o empreendimento de lá —, afirmou ao site que o restaurante vai ficar sem funcionar por pelo menos dois meses. "Neste momento, nem uma rua eu tenho. Não há mais nenhum acesso por causa da construção. Isso é horrível para nós. Não sou novo na cidade, e entendo que melhorias precisam ser feitas, mas, quando eu obtive o alvará, seis meses atrás, eles não disseram que fariam isso. Este tipo de construção não é planejada da noite para o dia. Estamos de mãos atadas", lamentou Heindl. 

"Eu compreendo que isso precise ser feito, mas me dar duas opções assim — fechar ou continuar aberto sem ter como os clientes chegarem ao restaurante — não é ter duas opções. É colocar uma arma na minha cabeça", acrescentou. 

Apesar do baque nos planos, Heindl afirmou que o Soho Bay vai voltar a funcionar. "Assim que eu descobri da obra e do nosso fechamento iminente, eu avisei à equipe", contou. Além disso, garantiu que o chef do estabelecimento, Ricky Sauri, vai continuar no restaurante. "Nós investimos nele e ele, em nós", completou. 

Notícias relacionadas

[China promete retaliar novas tarifas dos EUA]
Mundo

China promete retaliar novas tarifas dos EUA

Por Matheus Simoni no dia 18 de Setembro de 2018 ⋅ 12:00 em Mundo

A medida levanta o risco de que o presidente Donald Trump possa em breve adotar taxas sobre praticamente todos produtos chineses que o país compra