Mundo

CIA conecta príncipe herdeiro da Arábia Saudita à morte de jornalista

A monarquia do país nega as acusações

[CIA conecta príncipe herdeiro da Arábia Saudita à morte de jornalista]
Foto : Reprodução/Arquivo/Getty Images

Por Marina Hortélio no dia 17 de Novembro de 2018 ⋅ 07:30

Apesar da monarquia da Arábia Saudita alegar que príncipe não teve nenhuma relação com o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, a CIA concluiu que o herdeiro do país árabe, Mohammed bin Salman, ordenou o assassinato de Khashoggi, ocorrido no mês passado, no consulado saudita em Istambul, na Turquia.

Na última quinta-feira (15), o procurador-geral da Arábia Saudita culpou pelo assassinato um grupo de agentes enviados a Istambul para repatriar Khashoggi. A operação teria saído do controle e o jornalista teria sido amarrado e recebido uma injeção com grande quantidade de uma droga, o que lhe causou overdose e sua posterior morte.

De acordo com a avaliação, uma equipe de 15 agentes sauditas chegou em Istambul em uma aeronave do governo e matou Khashoggi, crítico da monarquia do país e colaborador do Washington Post, no consulado turco. O jornalista havia comparecido ao local para pegar os documentos necessários para se casar com uma mulher turca.

Segundo a Procuradoria-geral saudita, seu corpo foi esquartejado e retirado do edifício. Não se sabe onde estão seus restos mortais.

Para realizara a avaliação, a agência americana analisou múltiplas fontes de informações sobre o caso, incluindo um telefonema que o irmão do príncipe Khalid bin Salman, embaixador saudita nos EUA, fez para Khashoggi, apontam fontes que tiveram acesso ao relatório da CIA.

Notícias relacionadas