Mundo

Ex-executivo da Nissan deve ficar preso por mais dez dias no Japão

De acordo com a agência de notícias japonesa Kyodo, decisão também vale para ex-assessor que teria atuado junto a Carlos Ghosn nas fraudes

[Ex-executivo da Nissan deve ficar preso por mais dez dias no Japão]
Foto : École Polytechnique - J.Barande

Por Juliana Rodrigues no dia 30 de Novembro de 2018 ⋅ 10:40

A prisão do executivo brasileiro Carlos Ghosn, ex-presidente do conselho administrativo da Nissan, foi prorrogada por dez dias após decisão de um tribunal no Japão. Com a determinação, Ghosn deverá permanecer detido até dia 10 de dezembro, segundo informações da agência de notícias japonesa Kyodo.

Ghosn foi preso por promotores em Tóquio no último dia 19, sob a suspeita de ter falsificado declarações de renda durante seu período no comando da Nissan. Caso não houvesse prorrogação, o prazo terminaria hoje.

A decisão de estender o período de detenção também vale para o ex-executivo Greg Kelly, que teria atuado junto a Ghosn nas fraudes financeiras.

Notícias relacionadas