Mundo

Trump abandona reunião sobre paralisação do governo

O presidente americano chamou a reunião de "total perda de tempo"

[Trump abandona reunião sobre paralisação do governo]
Foto : EFE / Lukas Coch

Por Kamille Martinho no dia 10 de Janeiro de 2019 ⋅ 08:00

Donald Trump deixou uma reunião ontem (09) com a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, e o líder da minoria do Senado, Chuck Schumer. O abandono aconteceu devido a negação, dos 2 democratas, em relação a liberação da verba de US$ 5,7 bilhões (cerca de R$ 21 bilhões), destinados a construção de um muro na fronteira com o México. 

Segundo Schumer, o presidente “bateu na mesa” e disse que “não tinha nada para discutir”. Ele deixou a sala e encerrou o encontro ao ser contrariado mais uma vez.

O presidente americano desabafou no Twitter, afirmando ter sido uma "total perda de tempo". Trump acrescentou que Pelosi recusou sua proposta de encerrar a paralisação parcial do governo federal se os democratas concordassem em aprovar a verba para o muro dentro de um mês. "Nada mais funciona!", conclui.

Trump já declarou que estaria preparado para uma paralisação de "mais de um ano" se fosse necessário, e que só encerrará com uma definição sobre o projeto do muro.

Ontem a paralisação entrou em seu 19º dia e se encaminha para bater o recorde histórico de 21.

Antes da reunião desta quarta, Trump disse à imprensa que, se não conseguir o que quer, pode declarar estado de emergência nacional, o que lhe permitiria tomar medidas extraordinárias. Para a oposição, a ideia do muro é "imoral", além de cara e ineficaz.

Notícias relacionadas

[Maduro pede encontro 'cara a cara' com Trump]
Mundo

Maduro pede encontro 'cara a cara' com Trump

Por Marina Hortélio no dia 18 de Janeiro de 2019 ⋅ 21:30 em Mundo

Maduro assumiu um segundo mandato de seis anos no dia 10 de janeiro, que não é reconhecido pela oposição e por vários países

[Dois aviões russos colidem durante voo ]
Mundo

Dois aviões russos colidem durante voo

Por Kamille Martinho no dia 18 de Janeiro de 2019 ⋅ 12:40 em Mundo

Os aviões eram bombardeiros russos, que desenvolvem uma velocidade máxima de 1,6 mil quilômetros por hora