Mundo

Presidente do Comitê Olímpico Japonês é acusado de corrupção

Presidente é suspeito de subornar membros do COI para que Tóquio sediasse as Olimpíadas de 2020

[Presidente do Comitê Olímpico Japonês é acusado de corrupção]
Foto : Divulgação

Por Kamille Martinho no dia 11 de Janeiro de 2019 ⋅ 18:20

Tsunekazu Takeda, presidente do Comitê Olímpico Japonês e chefe da Comissão de Marketing do Comitê Olímpico Internacional (COI), é acusado na França de “corrupção ativa”.  O presidente é suspeito de ter subornado membros africanos do COI para que Tóquio conseguisse ser a cidade escolhida para ser sede dos Jogos Olímpicos de 2020.

“Peço desculpas pelas enormes preocupações que foram causadas ao povo do Japão, que deu tanto apoio aos Jogos de Tóquio. Para acabar com todas as dúvidas, eu pretendo continuar cooperando com as investigações”, disse Takeda hoje (11).

Um dos pontos investigados é o pagamento feito antes do voto de Buenos Aires dado a Tóquio para os Jogos de 2020, no valor de 1,8 milhão de euros (cerca de R$ 7,6 milhões) a uma empresa, que teria ligação com o senegalês Papa Massata Diack, filho do então presidente da Associação das Federações Internacionais de Atletismo (IAAF), Lamine Diack, segundo o jornal Le Monde. O dinheiro, que seria para a elaboração de dois relatórios, teria sido usado para subornar membros africanos do COI por intermédio de Diak.

Ao ser interrogado pela primeira vez, em Tóquio em fevereiro de 2017, Takeda confirmou esses pagamentos, mas não justificou a elaboração dos relatórios. O dirigente japonês foi acusado após um novo interrogatório em 10 de dezembro.

 

Notícias relacionadas

[Maduro pede encontro 'cara a cara' com Trump]
Mundo

Maduro pede encontro 'cara a cara' com Trump

Por Marina Hortélio no dia 18 de Janeiro de 2019 ⋅ 21:30 em Mundo

Maduro assumiu um segundo mandato de seis anos no dia 10 de janeiro, que não é reconhecido pela oposição e por vários países

[Dois aviões russos colidem durante voo ]
Mundo

Dois aviões russos colidem durante voo

Por Kamille Martinho no dia 18 de Janeiro de 2019 ⋅ 12:40 em Mundo

Os aviões eram bombardeiros russos, que desenvolvem uma velocidade máxima de 1,6 mil quilômetros por hora