Mundo

Guaidó quer reunir venezuelanos na fronteira se Maduro proibir ajuda humanitária

A oposição afirmou que o objetivo político da mobilização em prol da ajuda humanitária é forçar os militares a romperem com o chavismo

[Guaidó quer reunir venezuelanos na fronteira se Maduro proibir ajuda humanitária]
Foto : Marco Bello/Getty Images

Por Marina Hortélio no dia 07 de Fevereiro de 2019 ⋅ 22:00

Autodeclarado presidente da Venezuela, Juan Guaidó afirmou hoje (7), em entrevista ao jornal El País, que a oposição vai reunir o máximo de pessoas possíveis na fronteira para solicitar a entrada de alimento e remédios no país caso o presidente Nicolás Maduro não permita a entrega de ajuda humanitária na nação.

Guaidó ressaltou que a ajuda humanitária vai atender cerca de 300 mil pessoas. "Nosso objetivo é garantir o acesso dessa população a esses insumos. Isso significa mobilizar centenas de milhares de venezuelanos em territórios próximos aos pontos de entrega", afirmou.

A oposição já afirmou que o objetivo político da mobilização em prol da ajuda humanitária é forçar os militares a romperem com o chavismo. No Twitter, o presidente autodeclarado pressionou as Forças Armadas a escolherem entre estar do lado "de alguém cada vez mais isolado ou se acompanharão os milhares de venezuelanos que precisam de comida e remédios".

Com a movimentação da oposição, o Maduro se deve escolher entre negar a ajuda, o que prejudica o isolamento internacional, ou aceitá-la e conceder a vitória política para os oposicionistas.

Notícias relacionadas