Polícia

Sindicato e deputados cobram apuração de caso de agressão a jornalista

A presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Bahia (Sinjorba), Marjorie Moura, se manifestou contra a agressão de policiais ao jornalista Marivaldo Filho, editor do site Bocão News. Ela disse que o caso é um "absurdo" e lamenta que as agressões de policiais a jornalista seja “constante”. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução/ Bocão News

Por Juliana Almirante no dia 05 de Julho de 2015 ⋅ 16:27

A presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Bahia (Sinjorba), Marjorie Moura, se manifestou contra a agressão de policiais ao jornalista Marivaldo Filho, editor do site Bocão News. Ela disse que o caso é um "absurdo" e lamenta que as agressões de policiais a jornalista seja “constante”. “Parece que eles têm algo a esconder. Não é de hoje que a gente vem tentando manter o diálogo [com a Polícia Militar] para que essas situações lamentáveis deixem de acontecer”, acrescentou. Ela entende que agressões contra jornalistas configuram agressões à sociedade como um todo. “A gente representa a voz da sociedade”, definiu.

Também manifestaram apoio ao jornalista os deputados federal José Carlos Aleluia (DEM) e estadual Alex da Piatã (PMDB). "A violência sofrida pelo jornalista Marivaldo Filho precisa ser apurada imediatamente, para que a falha de alguns não macule a imagem de nossa Polícia Militar. Os nossos policiais são preparados para combater o crime com coragem e bravura, e não para agredir cidadãos de forma tão violenta. É preciso separar o joio do trigo”, disse Aleluia, em nota à imprensa.  Alex pede a punição dos envolvidos na agressão ao jornalista. "Isso fere o nosso princípio de liberdade de expressão", defendeu o peemedebista.

 

Notícias relacionadas

[Ação da PM em Lauro de Freitas deixa dois mortos]
Polícia

Ação da PM em Lauro de Freitas deixa dois mortos

Por Matheus Simoni no dia 16 de Setembro de 2018 ⋅ 17:30 em Polícia

Eles foram flagrados com pistola, revólver e munições, além de ter envolvimento com o tráfico de drogas, segundo a polícia