Polícia

Contas de FHC e Lula são aprovadas com ressalvas pelo TCU

O Plenário da Câmara aprovou as contas dos ex-presidente Itamar Franco (1992), Luiz Inácio Lula da Silva (2006) e Fernando Henrique Cardoso (2002), com base no Projeto de Decreto Legislativo 40/11. Mas as contas de FHC e lula foram aprovadas com ressalvas do Tribunal de Contas da União (TCU). [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Divulgação/ Ag. Brasil

Por Bárbara Gomes no dia 06 de Agosto de 2015 ⋅ 15:10

O Plenário da Câmara aprovou as contas dos ex-presidente Itamar Franco (1992), Luiz Inácio Lula da Silva (2006) e Fernando Henrique Cardoso (2002), com base no Projeto de Decreto Legislativo 40/11. Mas, as contas de FHC e Lula foram aprovadas com ressalvas do Tribunal de Contas da União (TCU).

Na gestão de FHC houve déficit e juros devidos pelo Banco Central no valor de R$ 18,2 bilhões e a existência de uma diferença de R$ 14,3 bilhões em empréstimos da União. Conforme consta na publicação do Jornal Brasil Online, o deputado Edimilson Rodrigues (PSOL-PA) criticou as contas do tucano, dizendo que o ex-presidente privilegiou a grande capital, incorporando regras monetaristas do Consenso de Washington. Por outro lado, FHC foi defendido pelo deputado Rodrigo de Castro (PSDB-MG). “Fernando Henrique Cardoso privatizou quando tinha que privatizar e lançou as bases para programas sociais instituídos depois. Temos orgulho do legado do ex-presidente”, disse.

Sobre as ressalvas na gestão de Lula, o TCU apontou 27 questionamentos, como descumprimento de metas previstas na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), problemas com o piso de gastos com educação e ausência de controle das transferências voluntárias para convênios com prefeituras, estados e entidades.

Notícias relacionadas

[Ação da PM em Lauro de Freitas deixa dois mortos]
Polícia

Ação da PM em Lauro de Freitas deixa dois mortos

Por Matheus Simoni no dia 16 de Setembro de 2018 ⋅ 17:30 em Polícia

Eles foram flagrados com pistola, revólver e munições, além de ter envolvimento com o tráfico de drogas, segundo a polícia