Política

"As coisas não estão bem e é importante que a Bahia se una", diz Aleluia

Segundo o deputado, a união entre as gestões gera benefício para a população, exemplificando ainda o trabalho conjunto entre o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM) e o governador Rui Costa (PT).

[
Foto : Reprodução / Câmara

Por Milene Rios e Juliana Almirante no dia 15 de Junho de 2015 ⋅ 08:12

Em entrevista à Rádio Metrópole, na manhã desta segunda-feira (15) o deputado federal José Carlos Aleluia (DEM), comentou que mesmo fazendo oposição ao governo, na Bahia, nem sempre há como ficar contra. 

"(Tenho) oposição dura, mas algumas vezes me dizem que sou governo. Quando se tratam de projetos importantes, não deixo de votar. No poder Judiciário, a presença da Bahia diminuiu. É importante estar presente no Supremo e no Legislativo e em ministérios estratégicos”, disse Aleluia.

Segundo o deputado, a união entre as gestões gera benefício para a população, exemplificando ainda o trabalho conjunto entre o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), e o governador Rui Costa (PT). “Em Maragogipe e região, você tem um desemprego alarmente. A Petrobras poderá garantir uma parte dos contratos para ser concluído. Ali tem R$ 2 bilhões investidos. Isso tem que se tornar alguma coisa. A Fiol (Ferrovia de Integração Oeste Leste) está parada. As coisas não estão bem e é importante que a Bahia se una. Vejo com bons olhos união entre prefeito e governador. O estado tem que se unir”, ponderou o Democrata.

Notícias relacionadas

[STJ torna Luiz Caetano inelegível pela Lei da Ficha Limpa]
Política

STJ torna Luiz Caetano inelegível pela Lei da Ficha Limpa

Por Matheus Simoni no dia 21 de Setembro de 2018 ⋅ 14:40 em Política

Condenação se deu por causa de irregularidades na contratação da Fundação Humanidade Amiga (Fhunami), feita no período em que petista foi prefeito em Camaçari

[Alckmin sobe tom contra Bolsonaro em propaganda eleitoral]
PolíticaELEIÇÕES 2018

Alckmin sobe tom contra Bolsonaro em propaganda eleitoral

Por Juliana Rodrigues no dia 21 de Setembro de 2018 ⋅ 09:20 em Política

Campanha do tucano atacou proposta de Paulo Guedes e associou polarização à transformação do Brasil em uma "nova Venezuela"