Política

“A Bahia perde um grande líder”, diz MK sobre Afrísio Vieira Lima

Mário Kertész lamentou na manhã desta segunda-feira (11), a morte do ex-vereador, ex-deputado estadual e ex-deputado federal, além de seu amigo de longa data, Afrísio Vieira Lima. [Leia mais...]

[“A Bahia perde um grande líder”, diz MK sobre Afrísio Vieira Lima]
Foto : Tácio Moreira/ Metropress

Por Matheus Morais no dia 11 de Janeiro de 2016 ⋅ 08:16

Mário Kertész lamentou na manhã desta segunda-feira (11), a morte do ex-vereador, ex-deputado estadual e ex-deputado federal, além de seu amigo de longa data, Afrísio Vieira Lima. MK definiu Afrísio como um homem corajoso e inteligente. “Eu conheci Afrísio quando eu era secretário de Planejamento, com 26 anos, e ele presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, em 1974. Ele é um homem que pode se definir como corajoso, intempestivo, inteligente e excelente orador. Um homem de família. Soube criar os filhos, teve uma grande mulher e companheira de todas as horas, dona Marluce”, afirmou. 

"Conheço dele alguns episódios que marcaram: em 1974, ele foi presidente da Assembleia Legislativa, na abertura do trabahos, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), com a presença do governador Antonio Carlos Magalhães, em plena ditadura, Afrísio fez um discurso em que detonava a então candidatura preferida de ACM para o governo, até então Luiz Sande... Afrísio detonou a candidatura de Luiz Sande, chamou de tecnocrata, que não tinha credibilidade política.  ACM ficou na mesa com a fisionomia dura. Depois saiu e não cumprimentou Afrísio. Ele não tava nem aí”, completou. 

Depois teve uma cena que eu pedi a ele para me contar com detalhes, ele não quis tornar isso público, dizia que com morto não se mexe, mas me contou. “Foi uma briga física, que o próprio Afrísio, no Palácio de Ondina, empurrou ACM no sofá”, disse. 

“Foi secretário de Segurança no governo de Nilo Coelho, era um homem afável, de família, até pouco tempo, quando Geddel e Lúcio vinham dar entrevista aqui na Metrópole, ele mandava um recado que estava me ouvindo. Eram recados positivos para mim, Eu sempre encontrando ele com dona Marluce na casa de Intergalos de Geddel. Tenho certeza que a família e, sobretudo, Geddel, está partido. Deixo aqui a minha expressão de saudade e de perda, a Bahia perde um líder extremamente importante na sua história recente, eu perco um amigo. Que Deus o leve na sua misericórida”, lamentou MK. 

Notícias relacionadas