Política

Picciani negocia apoio mineiro para seguir líder do PMDB na Câmara

O líder do PMDB na Câmara dos Deputados, Leonardo Picciani (RJ), afirmou nesta terça-feira (12) que está em negociação com deputados peemedebistas de Minas Gerais, com o objetivo de chegar a um acordo para ser reconduzido à liderança da legenda em 2016. A escolha de quem irá liderar a bancada do PMDB na Câmara ao longo do ano será feita em fevereiro. [Leia mais...]

[Picciani negocia apoio mineiro para seguir líder do PMDB na Câmara]
Foto : Zeca Ribeiro / Agência Câmara

Por Stephanie Suerdieck no dia 12 de Janeiro de 2016 ⋅ 17:23

O líder do PMDB na Câmara dos Deputados, Leonardo Picciani (RJ), afirmou nesta terça-feira (12) que está em negociação com deputados peemedebistas de Minas Gerais, com o objetivo de chegar a um acordo para ser reconduzido à liderança da legenda em 2016. A escolha de quem irá liderar a bancada do PMDB na Câmara ao longo do ano será feita em fevereiro e, segundo o G1, nos bastidores da capital federal, comenta-se que a presidente Dilma Rousseff estaria disposta, inclusive, a indicar um deputado de Minas Gerais para o comando da Secretaria de Aviação Civil (SAC), como forma de viabilizar o acordo de Picciani com a bancada mineira e, assim, garantir a recondução do deputado à liderança do partido.

Nesta terça, o deputado concedeu uma entrevista coletiva na Câmara e foi questionado por jornalistas sobre a manobra do Palácio do Planalto. O líder do PMDB não confirmou a negociação do governo com os colegas de partido, mas admitiu que busca um consenso com a bancada de Minas. Picciani negou que essa negociação tenha relação com a indicação para a Secretaria de Aviação Civil. “Essa é uma decisão que cabe à bancada mineira. Eu noto disposição ao diálogo, de modo que acho que é possível buscar um caminho de convergência”, ressaltou. “O convite para a SAC, primeiro, tem que acontecer. Até aqui, desconheço convite para ocupar a secretaria. Em ocorrendo, em a presidenta fazendo a opção por um deputado da bancada, isso nada terá a ver com a disputa pela liderança. Será uma opção do governo por razões políticas e administrativas”, complementou o líder do PMDB.

No final do ano passado, Picciani, que é aliado da presidente, se envolveu em uma polêmica com um grupo de deputados peemedebistas que defende o rompimento do partido com o Executivo federal, ao indicar apenas parlamentares com perfil governista para a comissão especial do impeachment contra Dilma Rousseff. Com isso, a ala oposicionista do PMDB afastá-lo da função e colocar o deputado mineiro Leonardo Quintão na liderança do partido. Porém, dias antes do início do recesso, o parlamentar retomou o comando com o apoio da maioria dos deputados.

 

 

Notícias relacionadas

[Justiça nega mais um habeas corpus a Dalva Sele]
Política

Justiça nega mais um habeas corpus a Dalva Sele

Por Alexandre Galvão no dia 17 de Agosto de 2018 ⋅ 15:30 em Política

Ela foi processada pelo Ministério Público Eleitoral após denunciar suposta prática de desvio de verba praticada pelo então candidato Rui Costa (PT)