Política

Internauta publica resposta ácida a artigo de ex-superintendente da Sucom

[Internauta publica resposta ácida a artigo de ex-superintendente da Sucom]
Foto : Dario Guimarães Neto/Metropress

Por Metro1 no dia 18 de Janeiro de 2016 ⋅ 17:45

Circula nas redes sociais um texto-resposta a um artigo de Cláudio Silva, de malfadada passagem pela Superintendência de Controle e Ordenamento do Uso do Solo (Sucom) — atual Secretaria de Urbanismo — na gestão de João Henrique Carneiro, que durou até 2012. Em seu texto, Silva diz, por incrível que pareça, que a administração de ACM Neto (DEM) está "'surfando' a onda de obras de infraestrutura e modernização do sistema de iluminação pública da cidade, que ocorreram na gestão de João Henrique".

Na resposta ao ex-titular da Sucom, intitulada "A política e o vendedor de picolé", o autor fez clara menção ao artigo de Cláudio e afirma que é "risível" que este agora vire "comentarista político". Segundo o internauta que assina a crítica — cujo nome não conseguimos identificar —, o alvo do texto tenta "voltar à cena como se as pessoas não lembrassem" do que foi feito "no verão passado". 

Confira o texto completo:

A política e o vendedor de picolé

Nos anos eleitorais, sempre vemos algumas figurinhas carimbadas procurando a imprensa para tentar voltar a cena, como se as pessoas não lembrassem do que elas fizeram no verão passado. 

Recentemente, um ex-gestor do governo João Henrique, que ocupou diversos cargos importantes, resolveu fazer avaliações do governo ACM Neto, comparando com a gestão do tenebroso. 

Ocorre, todavia, que este rapaz esqueceu de avaliar questões importantes como condutas, procedimentos, compromissos com a cidade, honestidade e honradez, logicamente porque este rapaz não tem a menor noção destes atributos. 

Vale lembrar que em 2013, moveu mundos e "fundos" para manter-se à frente da sua pasta, não tendo sucesso. Assim, transferiu sua "tecnologia" para um município vizinho e passou a adotar a mesma política: criar dificuldades para vender facilidades. 

No mercado, o rapaz era conhecido como vendedor de picolé - com todo respeito aos vendedores de picolés. Risível agora virar comentarista político. 

Com problemas no TCM e no MP, este rapaz deveria se resumir a sua insignificância e mergulhar, antes que as pessoas comecem a perguntar de onde vem tanta prosperidade.

Notícias relacionadas