Política

Dilma defende ministro e diz que batalha contra Aedes não está perdida

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quarta-feira (27), em Quito, no Equador, que a batalha contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a dengue e as febres chikungunya e amarela, além do zika vírus, não está perdida. Durante entrevista coletiva, a presidente também defendeu a atuação do ministro da Saúde, Marcelo Castro, no combate ao mosquito. [Leia mais...]

[Dilma defende ministro e diz que batalha contra Aedes não está perdida]
Foto : Roberto Stuckert Filho/Agência Brasil/EBC

Por Matheus Simoni no dia 27 de Janeiro de 2016 ⋅ 18:39

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quarta-feira (27), em Quito, no Equador, que a batalha contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a dengue e as febres chikungunya e amarela, além do zika vírus, não está perdida. Durante entrevista coletiva, a presidente também defendeu a atuação do ministro da Saúde, Marcelo Castro, no combate ao mosquito.

Ele foi alvo de críticas em razão de declarações concedidas à imprensa, quando ele afirmou que o país está perdendo a "guerra" contra o mosquito Aedes aegypti. "A batalha não está perdida, não. Isso não é o que ele [Marcelo Castro] está pensando, nem o que ele disse. O que o ministro disse, é o seguinte: 'se nós todos não nos unirmos, e se a população não participar, nós perderemos essa guerra'. Ele está absolutamente certo", disse Dilma a jornalistas.

A presidente participou de reunião da cúpula de chefes de Estado e de governo da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribe (Celac). Segundo a presidente, Marcelo desenvolve um bom trabalho no comando do ministério.

Comentarios

Notícias relacionadas