Política

Em meio a vaias, Dilma discursa no Congresso e defende CPMF e limite de gastos

A presidente Dilma Rousseff participou nesta terça-feira (2) da abertura dos trabalhos do Legislativo em 2016. Em discurso lindo no Congresso Nacional na sessão solene, a petista chegou a ser vaiada em alguns momentos, além de ter recebido aplausos ao logo da leitura da mensagem a deputados e senadores. [Leia mais...]

[Em meio a vaias, Dilma discursa no Congresso e defende CPMF e limite de gastos]
Foto : Lucio Bernardo Junior/Agência Câmara dos Deputados

Por Matheus Simoni no dia 02 de Fevereiro de 2016 ⋅ 16:27

A presidente Dilma Rousseff participou nesta terça-feira (2) da abertura dos trabalhos do Legislativo em 2016. Em discurso lindo no Congresso Nacional na sessão solene, a petista chegou a ser vaiada em alguns momentos, além de ter recebido aplausos ao logo da leitura da mensagem a deputados e senadores. Antes do discurso, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), considerou a participação de Dilma na sessão como um "gesto significativo".

"Significa mudança de patamar na relação. Ao vir, a presidente demonstra que quer conversar ", destacou o peemedebista. Dilma defendeu que é indispensável uma reforma nas atuais regras da Previdência Social para manter a sustentabilidade do sistema previdenciário. Além disso, a presidente pediu apoio do Congresso para aprovar a recriação da CPMF e para impor limites aos gastos públicos. "Nos cabe enfrentar desafio maior para política fiscal, que é a sustentabilidade da Previdência Social em um contexto de envelhecimento da população. No ano passado, a Previdência e o BPC [Benefício de Prestação Continuada] responderam por 44% do nosso gasto primário. Mantidas as regras atuais, o percentual tende a aumentar exponencialmente. Um dado ajuda a explicitar nosso desafio: em 2050, teremos população em idade ativa similar à atual; já a população acima de 65, será três vezes maior", disse Dilma.

Ao defender o retorno da CPMF, ela chegou a ser vaiada pelos congressistas. Dilma ressaltou que irá promover o amplo debate sobre o tema. "Debateremos o quanto for necessário com a sociedade e o Congresso para construir consenso em torno dessas propostas decisivas para o equilíbrio fiscal. Muitos têm dúvidas e se opõem a essas medidas, especialmente a CPMF, e têm argumentos, mas peço que considerem a excepcionalidade do momento, levem em conta dados, e não opiniões. A CPMF é a melhor solução disponível para ampliar, no curto prazo, a receita fiscal em favor do Brasil", argumentou.

Notícias relacionadas