Política

Cunha faz manobra com aliados e consegue retardar seu processo de cassação

Em ação coordenada com aliados, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) conseguiu retardar o processo de cassação do seu mandato que corre no Conselho de Ética da Casa. O vice-presidente da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), determinou que o Conselho anule a sessão em que foi aprovada a admissibilidade do processo de cassação de Cunha, realizada no final do ano passado. [Leia mais...]

[Cunha faz manobra com aliados e consegue retardar seu processo de cassação]
Foto : Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

Por Matheus Simoni no dia 02 de Fevereiro de 2016 ⋅ 18:12

Em ação coordenada com aliados, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) conseguiu retardar o processo de cassação do seu mandato que corre no Conselho de Ética da Casa. O vice-presidente da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), determinou que o Conselho anule a sessão em que foi aprovada a admissibilidade do processo de cassação de Cunha, realizada no final do ano passado. Com isso, a decisão faz o caso retornar praticamente para a sua fase inicial, suspendendo a votação do relatório de Marcos Rogério (PDT-RO), aprovado em 15 de dezembro.

O presidente do Conselho de Ética, o deputado José Carlos Araújo (PSD-BA), recebeu na tarde desta terça (2) um ofício enviado por Maranhão determinando que o processo volte à fase de discussão anterior à admissibilidade, estágio preliminar da tramitação. A determinação foi em resposta a um recurso do deputado Carlos Marun (PMDB-MS), que reclamou da ausência da possibilidade de pedido de vista do parecer do relator Marcos Rogério (PDT-RO). Assim como Cunha, Waldir Maranhão também é investigado na Operação Lava Jato.

A representação contra o presidente da Casa é assinada pelo PSOL e pela Rede. O processo acusa Cunha de mentir aos seus pares após negar possuir contas no exterior –em outubro, o Ministério Público da Suíça enviou às autoridades brasileiras quatro contas bancárias naquele país em que Cunha e familiares aparecem como beneficiário. 

Notícias relacionadas