Política

Gilmar rebate Paulo Magalhães Jr: “Prefeituras-bairro são cabides de emprego”

O vereador Gilmar Santiago (PT) rebateu as declarações do colega Paulo Magalhães Jr (PV), que disse na manhã desta terça-feira (16), em entrevista à Rádio Metrópole, que ele estava procurando “chifre em cabeça de cavalo”, ao defender eleições diretas para dirigentes das prefeituras-bairro de Salvador. [Leia mais...]

[Gilmar rebate Paulo Magalhães Jr: “Prefeituras-bairro são cabides de emprego”]
Foto : Divulgação/ CMS

Por Matheus Morais no dia 16 de Fevereiro de 2016 ⋅ 12:46

O vereador Gilmar Santiago (PT) rebateu as declarações do colega Paulo Magalhães Jr (PV), que criticou na manhã desta terça-feira (16), em entrevista à Rádio Metrópole, as declarações do petista, que defende eleições diretas para dirigentes das prefeituras-bairro de Salvador. “Não tem nada disso. Eu disse que as prefeituras-bairro viraram comitês eleitorais do prefeito ACM Neto, com campanha antecipada. Eu defendo que haja uma eleição direta para dirigentes das prefeituras-bairro, como há em São Paulo e o prefeito Fernando Haddad fez. A eleição direta vai garantir que haja um processo técnico, evitando que haja isso de cabide de emprego de cabos eleitorais”, destacou. 

“Se você você for olhar, cada prefeito-bairro já tem um candidato a vereador. A concepção do projeto é bom, só peca na execução”, complementou. 

Notícias relacionadas

[Bolsonaro exibe vídeo em que Wal nega ser funcionária fantasma]
Política

Bolsonaro exibe vídeo em que Wal nega ser funcionária fantasma

Por Clara Rellstab no dia 16 de Agosto de 2018 ⋅ 10:20 em Política

Wal diz na gravação feita pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro e pelo vereador Carlos Bolsonaro que está passando por uma humilhação e que está sendo criminalizada por...

[Banqueiro é preso no Rio em operação da Lava Jato]
Política

Banqueiro é preso no Rio em operação da Lava Jato

Por Alexandre Galvão no dia 16 de Agosto de 2018 ⋅ 10:00 em Política

Segundo as investigações da operação no Rio, ele teria pago R$ 3,12 milhões de propina ao grupo do ex-governador Sérgio Cabral