Política

"Nunca me vendi ao governo, não é Nilo que vai me comprar", diz deputado

Durante entrevista à Rádio Metrópole, na manhã desta quinta-feira (3), o deputado estadual Sandro Régis (DEM) falou sobre a votação do PRS 2.405/2015, que aprovou na última quarta-feira (2), a criação de três novos cargos na estrutura da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). [Leia mais...]

[
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Gabriel Nascimento no dia 03 de Março de 2016 ⋅ 10:03

Durante entrevista à Rádio Metrópole, na manhã desta quinta-feira (3), o deputado estadual Sandro Régis (DEM) falou sobre a votação do PRS 2.405/2015, que aprovou na última quarta-feira (2), a criação de três novos cargos na estrutura da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). De acordo com Régis, "os deputados não têm participação nos atos financeiros" e o presidente da Casa, Marcelo Nilo "disse que não teria impacto no orçamento".

"O que Nilo passou pra gente, foi o que ele passou pra vocês. Ele disse que isso seria só uma forma de readequar. Não tenho procuração para defender ninguém. A mesa diretora nos trouxe o documento. Eu não tive acesso aos números. A intenção da Casa foi votar para benefício dos servidores", afirmou. Régis destacou que o único objetivo era resolver as questões da Casa e afirmou que não se venderá. "O intuito maior foi a questão dos servidores da Casa, votarmos isso. Ele disse que a médica ganhava x, não votamos pra dizer amém a ninguém", afirmou.

"Quem tem enfrentado Marcelo Nilo é a bancada de oposição. Eu não abro mão de dizer a verdade. Não sou moleque, não sou oportunista. Se eu nunca me vendi ao governo, não é Marcelo Nilo que vai me comprar. Falaram que não teria nenhum médico para atender a gente, e que com isso se alguém passasse mal o serviço médico atenderia a gente", completo.             

 

Notícias relacionadas