Política

Florence ataca Neto: "Parece que não gosta de pobre, mas tenho que aceitar"

O Brasil reage com desgosto à corrupção e ao desvio de recursos públicos nos últimos anos, o que acabou gerando uma alta taxa de desemprego no país. Nesta terça-feira (15), inclusive, foi divulgado pelo IBGE que o desemprego fechou 2015 com taxa média de 8,5% - a maior desde 2012. Em entrevista à Rádio Metrópole, o líder do PT na Câmara dos Deputados, Afonso Florence, falou sobre esses números. [Leia mais...]

[Florence ataca Neto:
Foto : Tácio Moreira / Metropress

Por Camila Tíssia e Gabriel Nascimento no dia 15 de Março de 2016 ⋅ 10:21

O Brasil reage com desgosto à corrupção e ao desvio de recursos públicos nos últimos anos, o que acabou gerando uma alta taxa de desemprego no país. Nesta terça-feira (15), inclusive, foi divulgado pelo IBGE que o desemprego fechou 2015 com taxa média de 8,5% - a maior desde 2012. Em entrevista à Rádio Metrópole, o líder do PT na Câmara dos Deputados, Afonso Florence, falou sobre esses números. 

"O senhor [Zé Eduardo] e os dados divulgados comparam o emprego de 2015, com os de 2014, esse foi o maior ano de empregos da história do Brasil, no quarto ano do primeiro mandato. A base de comparação é com o melhor da história, e o desemprego de 8% é alto, e comparado com o melhor do Brasil, com Dilma e Lula, não o de FHC. Desemprego justifica desrespeitar a democracia o voto popular? Não há cabimento", afirmou.

Afonso Florence chegou ainda a atacar o prefeito de Salvador, ACM Neto e disse que "não há motivo político pra impeachment" e considera o ato um golpe. "Se cair as instituições democráticas porque se discorda do governo... Acho que o governo de Neto é muito ruim que a cidade vira uma almofadinha. Leva a cidade pro salão de beleza. Salvador precisa de obra de infraestrutura, de contenção de encosta, de limpeza de canais, de creches. Ele gasta R$ 3 milhões na Orla do Subúrbio e R$ 60 milhões na Barra. Nada contra a Barra, mas parece que não gosta de pobre, mas tenho que aceitar que ele é prefeito. Temos que virar a página dessa tentativa de impeachment e trabalhar pra melhorar a economia, emprego e renda, que foi o que esse governo fez e que melhorou a vida do povo. Por que discordar do governo? Querer derrubá-lo? Por que teve povo na rua?", completou.

Notícias relacionadas