Política

"Fica provado que houve armação para nomeá-lo", opina Lúcio Vieira Lima

Para o deputado Federal Lúcio Vieira Lima (PMDB), a divulgação de conversas da presidente Dilma Rousseff (PT) com o ex-presidente Lula, feita pelo juiz Sérgio Moro nesta quarta-feira (16), deixa clara a manobra política planejada pelo Partido dos Trabalhadores.[Leia mais...]

[
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Bárbara Silveira e Matheus Morais no dia 16 de Março de 2016 ⋅ 20:45

Para o deputado Federal Lúcio Vieira Lima (PMDB), a divulgação de conversas da presidente Dilma Rousseff (PT) com o ex-presidente Lula, feita pelo juiz Sérgio Moro nesta quarta-feira (16), deixa clara a manobra política planejada pelo Partido dos Trabalhadores. 

"Com essas gravações piorou o quadro, porque seria uma tenatativa de nomea-lo para ele ter o foro especial. Houve a divulgação desses audios que tem causado uma revolta muito grande. Fica provado que houve uma armação no sentido de nomea-lo ministro para dar o foro privilegiado e ele fugir da justiça. As gravações mostraram que Lula chamou uma suprema corte frouxa, que tem um parlamento fudido, um presidene do Senado e da Câmara fudidos. O que houve foi uma quadrilha que se juntou para evitar que Lula fosse preso. O Lula disse que é golpe, o grampo foi legal, eles vão ficar batendo nessa tecla. Quem foi grampeado foi Lula, que está com inquérito e investigação", disse, reafirmando que o clima em Brasília é tenso. " O povo sitiou o Palácio do Planalto", completou.          

Notícias relacionadas