Política

Após vazamentos da PF, Otto Alencar fala em situação de "muita gravidade"

O senador Otto Alencar (PSD) foi entrevistado por Mário Kertész após a divulgação de conversas da presidente Dilma Rousseff com o ex-presidente e atual ministro da Casa Civil, Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo o senador, a situação política continua com muita "gravidade". [Leia mais...]

[Após vazamentos da PF, Otto Alencar fala em situação de
Foto : Tacio Moreira/ Metropress

Por Matheus Simoni e Matheus Morais no dia 16 de Março de 2016 ⋅ 21:15

O senador Otto Alencar (PSD) foi entrevistado por Mário Kertész durante edição especial do Jornal da Cidade 2ª Edição da Rádio Metrópole, após a divulgação de conversas da presidente Dilma Rousseff com o ex-presidente e atual ministro da Casa Civil, Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo o senador, a situação política continua com muita "gravidade". "Do ponto de vista organizacional, a crise política que não passa, o ano de 2015 não acabou, estou aqui há 12 meses e posso dizer que no Congresso, tudo que o governo pediu, aprovou, com o Joaquim Levy. Aprovei a repatriação de recursos. Temos trabalhado, apreciamos 35 medidas provisórias que o governo pediu. Acho que o governo não acertou o passo neste descompasso", disse o senador.

Ainda de acordo com Otto, tudo precisa ser apurado. "Fizemos nossa parte, mas chega  a um ponto que a dificuldade é enorme. Hoje o Renan teve que suspender a sessão. Suspendeu para ter um entendimento. Nosso partido são três senadores e estou aguardando o desenrolar dos fatos para tomar uma decisão. Houve um erro grande, de que o Supremo ficasse em recesso perante à crise. As vezes as pessoas estão mais preocupadas em salvar a própria pele do que salvar o povo brasileiro", declarou o senador.      

Notícias relacionadas