Política

Lula vai participar de manifestação pró-governo na Avenida Paulista

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, empossado ministro-chefe da Casa Civil nesta quinta-feira (17), informou que vai participar do ato em defesa do governo Dilma Rousseff na Avenida Paulista, em São Paulo, nesta sexta-feira (18), segundo a Folha de S. Paulo. Ainda de acordo com a publicação, a decisão foi tomada após Lula consultar petistas e integrantes de movimentos sociais. [Leia mais...]

[Lula vai participar de manifestação pró-governo na Avenida Paulista]
Foto : Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Por Stephanie Suerdieck no dia 18 de Março de 2016 ⋅ 13:35

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, empossado ministro-chefe da Casa Civil nesta quinta-feira (17), informou que vai participar do ato em defesa do governo Dilma Rousseff na Avenida Paulista, em São Paulo, nesta sexta-feira (18), segundo a Folha de S. Paulo. Ainda de acordo com a publicação, a decisão foi tomada após Lula consultar petistas e integrantes de movimentos sociais. Alguns aliados, no entanto, estariam apreensivos quanto ao risco de confrontos. "Está prevista a presença de Lula", disse à Folha o presidente da CUT, Vagner Freitas, um dos organizadores do ato e defensores da presença do ex-presidente nas ruas.

Temendo a possibilidade de conflitos com os manifestantes pró-impeachment que estavam acampados na Av. Paulista, interlocutores de Lula insistiram para que ele não confirmasse presença nas ruas. Segundo a Folha, petistas se queixavam de tratamento diferenciado, já que foram a público pedir que os militantes cancelassem manifestações programadas para o último domingo (13), quando aconteceu o protesto pelo impeachment. Na semana passada, o governo Geraldo Alckmin chegou a declarar que não permitiria outras manifestações além das previstas em favor do impeachment.

O presidente do PT em São Paulo, Emídio de Souza, havia dito que "os manifestantes da direita permanecerem na avenida Paulista é uma escolha do governador Geraldo Alckmin, ele assumirá todos os riscos. Nós não recuaremos". Na manhã desta sexta, por volta das 9h, o grupo contrário ao governo Dilma Rousseff foi retirado da Avenida Paulista pela Tropa de Choque da Polícia Militar, após quase 40 horas no local. Os policiais usaram bombas de gás e caminhão com canhão de água para dispersar os manifestantes, acampados na via desde a última quarta-feira (16). Essa foi a primeira vez que a PM usou jato de água em grandes protestos. A avenida foi desobstruída em seguida e o trânsito voltou a ser liberado. Ninguém foi preso. Segundo o governo de São Paulo, o motivo da ação é que a avenida será palco de um novo protesto, mas a favor do PT e do ex-presidente Lula.

Notícias relacionadas

[Neto alfineta Rui por disputa pela prefeitura em 2020]
Política

Neto alfineta Rui por disputa pela prefeitura em 2020

Por Matheus Simoni e Clara Rellstab no dia 17 de Janeiro de 2019 ⋅ 10:22 em Política

Ainda de acordo com o prefeito, entre os nomes cogitados, o de Bruno Reis ganha destaque por conta da importância dele na gestão municipal