Política

STJ determina perícia em negócio da Petrobras feito na gestão FHC

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou a realização de uma perícia em contrato firmado entre a Petrobras e a corporação ibero-argentina Repsol YPF em 2001, no segundo mandato do ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso (PSDB). A ordem do STJ é resultado de ação civil pública ajuizada por petroleiros naquele ano contra o ex-presidente do Conselho de Administração da Petrobras à época, o ex-parlamentar e ex-ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), José Jorge Vasconcelos Lima. [Leia mais...]

[STJ determina perícia em negócio da Petrobras feito na gestão FHC]
Foto : Reprodução/Agência Brasil

Por Matheus Simoni no dia 19 de Março de 2016 ⋅ 12:15

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou a realização de uma perícia em contrato firmado entre a Petrobras e a corporação ibero-argentina Repsol YPF em 2001, no segundo mandato do ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso (PSDB). A ordem do STJ é resultado de ação civil pública ajuizada por petroleiros naquele ano contra o ex-presidente do Conselho de Administração da Petrobras à época, o ex-parlamentar e ex-ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), José Jorge Vasconcelos Lima.

A ação também envolve outras 18 pessoas e mais quatro empresas. A perícia deverá ser realizada pela próprias Petrobras. O processo indica que o negócio, uma troca de ativos, gerou um prejuízo de US$ 2,3 bilhões à petrolífera. Movida em julho daquele ano, a ação civil foi considerada improcedente na primeira instância.

Depois de recurso interposto pelos autores do processo, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) ordenou a perícia para apurar eventual subvalorização dos ativos da Petrobras na negociação – e, no sentido contrário, se houve sobrevalorização dos ativos da corporação estrangeira. Os prejuízos ao erário ficaram evidentes e gerou perdas para acionistas, segundo a ação.

Notícias relacionadas