Política

Em ano de eleição, ACM Neto decide manter distância de protestos

Diante de diversos protestos em todo o país, Salvador vem sendo palco das mais variadas manifestações, tanto a favor ou contra o atual governo da presidente Dilma Rousseff e a nomeação do ex-presidente Lula como ministro da Casa Civil. Governistas e oposicionistas vão às ruas e defendem os interesses partidários diante da crise política. [Leia mais...]

[Em ano de eleição, ACM Neto decide manter distância de protestos]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Matheus Simoni no dia 19 de Março de 2016 ⋅ 12:40

Diante de diversos protestos em todo o país, Salvador vem sendo palco das mais variadas manifestações, tanto a favor ou contra o atual governo da presidente Dilma Rousseff e a nomeação do ex-presidente Lula como ministro da Casa Civil. Governistas e oposicionistas vão às ruas e defendem os interesses partidários diante da crise política. Alheio a isso está o prefeito ACM Neto (DEM), que se mantém distante das manifestações.

Segundo a coluna Satélite do jornal Correio, o assédio líderes da oposição para que Neto assuma a linha de frente dos protestos é grande. No entanto, o prefeito defende a existência do papel institucional a cumprir e manutenção da agenda administrativa da cidade para tocar, antes que as atenções se voltem para a campanha eleitoral deste ano.

Em entrevistas, ACM Neto se esquiva e afirma que a questão do impeachment da presidente da República está nas mãos de deputados federais, senadores e lideranças políticas em Brasília. Neste sábado (19), o prefeito participa do Encontro Nacional da Juventude Democrata, onde também vão estar caciques nacionais do DEM, PSDB e PMDB, entre eles o senador Agripino Maia (DEM-RN), presidente da sigla, o ex-prefeito do Rio de Janeiro César Maia e o deputado federal José Carlos Aleluia, que comanda a legenda na Bahia. Ainda segundo a coluna, uma das principais pautas do encontro é tentativa de atrair o prefeito para a frente dos protestos.

Notícias relacionadas