Política

"Fala palavrão, mas fala a língua do povo", diz Alice Portugal sobre Lula

Na opinião da deputada, Lula tem um "papel exponencial" na democracia. "Lula não fala nem inglês, nem francês. Fala palavrão, mas fala a língua do povo e isso incomoda muito", afirmou. [Leia mais...]

[
Foto : Reprodução/Alice Portugal

Por Gabriel Nascimento no dia 23 de Março de 2016 ⋅ 10:14

A deputada federal, Alice Portugal (PCdoB), voltou a falar sobre a crise política instalada no país, além de defender a presidente Dilma Rousseff (PT) e o ex-presidente Lula, durante entrevista à Rádio Metrópole, na manhã desta quarta-feira (23). Na opinião da deputada, o ex-presidente tem um "papel exponencial" na democracia. "Lula não fala nem inglês, nem francês. Fala palavrão, mas fala a língua do povo e isso incomoda muito", afirmou.

"A mídia corporativista e setores que perderam a eleição não se conformam. Isso não tem deixado a presidente [Dilma] tentar melhorar. É um ano de completa tensão. É uma coisa absurda", ressaltou. Alice afirmou que defende investigações mas "não existe motivos para o impeachment". "Não tem nenhum crime apontado em relação a presidente. Se não tem crime, não pode ter impeachment. Impeachment sem crime é golpe", disse.

As manifestações contra o PT e as gravações telefônicas divulgadas também foram citadas pela deputada. "Todos os ódios estão sendo estimulados, mas uma coisa é opinião, argumento, outra coisa é agredir. Vamos disputar de maneira digna, ereta, espero que a população brasileira continue a colocar sua opinião", ressaltou.

"Quando você grampeia uma presidente, é um problema de segurança nacional. Não tem qualquer acusação, nem suspeita, como é que grampeia? Lula não é reu, foi ouvido, então, precisamos ter respeito a constituição. Ora, ninguém pergunta o patrimonio de FHC, de Collor, pode ser assim, que a polícia investigue, não é possível pré-julgamento", finalizou.

 

Notícias relacionadas

[Moro prorroga atuação da Força Nacional em Moçambique]
Política

Moro prorroga atuação da Força Nacional em Moçambique

Por Matheus Simoni no dia 22 de Abril de 2019 ⋅ 09:20 em Política

A ajuda humanitária foi enviada a Moçambique após o país ficar devastado em março após a passagem do ciclone Idai, que afetou cerca de 1,85 milhão de pessoas e deixou mai...