Política

Nome de vice de Neto na busca da reeleição está dentro do secretariado

Acostumado a escolher sempre em cima da hora os nomes dos aliados que irão disputar as eleições, o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), não perdeu a velha prática e deve decidir só no fim do primeiro semestre quem será seu candidato a vice em outubro, quando disputará a reeleição. Mais cauteloso [Leia mais...]

[Nome de vice de Neto na busca da reeleição está dentro do secretariado]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Matheus Morais no dia 24 de Março de 2016 ⋅ 06:00

Acostumado a escolher sempre em cima da hora os nomes dos aliados que irão disputar as eleições, o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), não perdeu a velha prática e deve decidir só no fim do primeiro semestre quem será seu candidato a vice em outubro, quando disputará a reeleição. Mais cauteloso, o governador do estado, Rui Costa (PT), afirmou em entrevista à Metrópole, na segunda-feira (21), que está intensificando as conversas e que o nome oposicionista que vai bater chapa com Neto sai até o final deste mês de março. 

A grande disputa se dá pelo fato de que, se Neto decidir renunciar à Prefeitura para concorrer ao governo em 2018, o vice-prefeito assumiria a capital baiana por dois anos. Com a popularidade em alta, o prefeito descartou a atual vice, Célia Sacramento (PPL), e agora está dividido entre o chefe da Casa Civil, Luiz Carreira (PV), e os secretários Silvio Pinheiro (SD), do Urbanismo, Guilherme Bellintani (PPS), da Educação, e Bruno Reis (PMDB), da Promoção Social e Combate à Pobreza. As cartas estão na mesa. 

Carreira: quanto menos aparece, mais se fortalece

O mais velho entre os concorrentes, 66 anos, é também o mais experimentado na vida pública, já que foi deputado federal por dois mandatos e ocupou cargos importantes na iniciativa privada. É adepto do estilo low profile, quase não aparece e não gosta muito de conceder entrevistas. Contudo, além de extremamente habilidoso, ocupa um cargo estratégico na administração de Neto: a chefia da Casa Civil. Além de carlista de carteirinha, Carreira coordena todos os projetos e ações da Prefeitura. Filiou-se ao PV recentemente só para tentar ser o candidato a vice. Nos bastidores, diz-se que, hoje, é o preferido do prefeito. “Eu não sou candidato porque ainda temos uma vice-prefeita. Não tem nenhuma discussão concreta sobre candidatura”, despistou, em entrevista recente à Rádio Metrópole. 

Silvio Pinheiro: o gestor

Homem forte da Secretaria de Urbanismo (Sucom), o advogado Silvio Pinheiro está com Neto desde o início do mandato, em 2013. Titular de uma pasta extremamente complicada, Silvio foi responsável por comandar todo o processo de reformulação do PDDU e da Louos, batendo de frente com a promotora do Ministério Público Hortênsia Pinho, uma das maiores críticas do atual projeto encaminhado à Cãmara de Vereadores. Depois disso, ele ganhou ainda mais a admiração do prefeito. Filiado ao Solidariedade, Silvio Pinheiro pode ir para o PMDB, atendendo a um pedido do próprio Neto. “Acho que qualquer pessoa que está nesse projeto de ACM Neto se sentiria orgulhoso de fazer parte da chapa. Mas não trabalho com essa hipótese, pois não entrei na Prefeitura com esse objetivo”, afirmou, recentemente, Pinheiro. 

Bellintani: família pode influenciar 

Bellintani tem 35 anos, é formado em Direito pela Universidade Católica de Salvador e sócio, diretor-geral e professor da Faculdade Baiana de Direito, além de um dos fundadores do JusPODIVM. Destacou-se pelo trabalho à frente da Secretaria de Turismo, quando chegou a ser considerado o melhor auxiliar de Neto. Como prêmio, foi promovido à Educação, num dos cargos mais importantes da administração. 

Jovem e carismático, dos concorrentes é considerado o que tem o perfil mais parecido com o do prefeito. Filiou-se ao PPS a pedido de Neto, mas tem dito que, pela família, vai voltar à iniciativa privada em 2017 para cuidar dos negócios. “Minha filha já fez um calendário no quarto de quantos dias faltam pra eu deixar a Prefeitura, mas, em 2017, independente de onde eu estiver, estarei ajudando Neto. Foi um amigo que conquistei”, disse à Metrópole. 

Reis: ligado a neto, criticado por vaidade

Bruno Reis foi assessor da Câmara de Salvador e foi reeleito em 2014 como deputado estadual. Titular da Semps, entrou na administração de Neto em 2015 para substituir Henrique Trindade, quando se licenciou da Assembleia Legislativa. Dos concorrentes, é o mais ligado pessoalmente ao prefeito. Tido por assessores próximos de Neto como vaidoso, Bruno não perde a oportunidade de aparecer ao lado do prefeito em inaugurações. Por outro lado, tem uma história de superação familiar e financeira, saindo de uma infância difícil para vencer na vida.“É um assunto que está muito cedo pra ser debatido. Nosso foco é a gestão”, declarou no início do ano à Metrópole. 

Notícias relacionadas

[Bolsonaro será recebido por Trump nesta terça-feira ]
Política

Bolsonaro será recebido por Trump nesta terça-feira 

Por Juliana Almirante no dia 19 de Março de 2019 ⋅ 08:40 em Política

No encontro, os mandatários devem discutir comércio bilateral, parcerias estratégicas no setor militar, além da situação econômica e política da Venezuela.

[Marielle Franco é homenageada na Câmara de Salvador]
Política

Marielle Franco é homenageada na Câmara de Salvador

Por Juliana Rodrigues no dia 19 de Março de 2019 ⋅ 08:20 em Política

A sessão especial foi proposta pelo vereador Marcos Mendes (PSOL) e contou com a presença do pai de Marielle, Antônio Silva Neto