Política

Dilma relembra ditadura e diz que impeachment sem base legal é golpe

Durante entrevista a correspondentes estrangeiros em Brasília, na última quinta-feira (24), a presidente Dilma Rousseff afirmou que o processo de impeachment que tramita contra ela no Congresso é antidemocrático. De acordo com o jornal El País, da Espanha, a presidente afirmou ainda que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai fazer parte do governo, na Casa Civil ou como assessor. [Leia mais...]

[Dilma relembra ditadura e diz que impeachment sem base legal é golpe]
Foto : Agência Brasil

Por Bárbara Silveira no dia 25 de Março de 2016 ⋅ 13:39

Durante entrevista a correspondentes estrangeiros em Brasília, na última quinta-feira (24), a presidente Dilma Rousseff afirmou que o processo de impeachment que tramita contra ela no Congresso é antidemocrático. De acordo com o jornal El País, da Espanha, a presidente afirmou ainda que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai fazer parte do governo, na Casa Civil ou como assessor.

"Nós tivemos golpes de Estado militares em nossa história. Em um sistema democrático, estes golpes mudam de modo. Cada regime tem o seu tipo de golpe. A Constituição garante direitos e em um golpe você subverte esses direitos e perverte a ordem democrática. E isso é perigoso. Sem base legal, este processo é um golpe contra a democracia. E as consequências disso não as sabemos, porque não temos a capacidade de prever o futuro", disse Dilma

Notícias relacionadas

[Governo prepara MP para recadastrar armas irregulares]
Política

Governo prepara MP para recadastrar armas irregulares

Por Juliana Rodrigues no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 08:00 em Política

Ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, negou que a medida seja uma forma de anistia: "No governo do PT ninguém nunca chamou de anistia, por que vai chamar no governo do...

[Decreto da arma ignorou sete sugestões de Moro, diz coluna]
Política

Decreto da arma ignorou sete sugestões de Moro, diz coluna

Por Clara Rellstab no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 06:49 em Política

A sugestão de Moro era mais restritiva: previa a posse para duas armas, e não quatro; não prolongava automaticamente registros já concedidos para dez anos e exigia a comp...