Política

Dilma defende crítica de Lula ao PT: "Todo mundo tem direito de criticar"

A presidente Dilma Rousseff (PT) defendeu o ex-presidente e correligionário Luís Inácio Lula da Silva, que criticou o partido publicamente nesta semana. Após participar de reunião com integrantes do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016, no Rio de Janeiro, Dilma afirmou que "todo mundo tem direito de criticar", mas não respondeu se concorda ou não com a fala de Lula. [Leia mais...]

[Dilma defende crítica de Lula ao PT:
Foto : Reprodução/Agência Brasil

Por Matheus Simoni no dia 23 de Junho de 2015 ⋅ 14:04

A presidente Dilma Rousseff (PT) defendeu o ex-presidente e correligionário Luís Inácio Lula da Silva, que criticou o partido publicamente nesta semana. Após participar de reunião com integrantes do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016, no Rio de Janeiro, Dilma afirmou que "todo mundo tem direito de criticar", mas não respondeu se concorda ou não com a fala de Lula.

"Perdemos um pouco da utopia. [...] Fico pensando se não está na hora de fazer uma revolução neste partido e ter lideranças mais jovens, ousadas, com mais coragem", disse Lula na última segunda-feira (22), em um evento no instituto que leva o seu nome. "Eu acho que todo mundo tem o direito de criticar. Mais ainda o presidente Lula. Até porque ele é muito criticado por vocês", comentou a presidente Dilma nesta terça-feira (23).

Notícias relacionadas

[Em Salvador, Ciro condena 'extremismos' e prega união do país ]
PolíticaELEIÇÕES 2018

Em Salvador, Ciro condena 'extremismos' e prega união do país

Por Rodrigo Daniel Silva no dia 23 de Setembro de 2018 ⋅ 10:00 em Política

Presidenciável ressaltou que, embora seja visto como um político de "esquerda", ele defende a união entre "o Brasil que produz com o Brasil que trabalha".

[STJ torna Luiz Caetano inelegível pela Lei da Ficha Limpa]
Política

STJ torna Luiz Caetano inelegível pela Lei da Ficha Limpa

Por Matheus Simoni no dia 21 de Setembro de 2018 ⋅ 14:40 em Política

Condenação se deu por causa de irregularidades na contratação da Fundação Humanidade Amiga (Fhunami), feita no período em que petista foi prefeito em Camaçari