Política

Juiz Sérgio Moro envia lista da Odebrecht na Lava Jato ao Supremo

O juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba e responsável pelos processos da Operação Lava Jato em primeira instância, enviou nesta segunda-feira (28) ao Supremo Tribunal Federal (STF) as planilhas e os processos da Odebrecht em que constam pagamentos efetuados a diversos agentes políticos, alguns com foro privilegiado. Os itens fazem parte das investigações da 23ª e 26ª fases da operação, nomeadas de Acarajé e Xepa, que investiga desvios de recursos públicos na Petrobras. [Leia mais...]

[Juiz Sérgio Moro envia lista da Odebrecht na Lava Jato ao Supremo]
Foto : Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

Por Matheus Simoni no dia 28 de Março de 2016 ⋅ 15:00

O juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba e responsável pelos processos da Operação Lava Jato em primeira instância, enviou nesta segunda-feira (28) ao Supremo Tribunal Federal (STF) as planilhas e os processos da Odebrecht em que constam pagamentos efetuados a diversos agentes políticos, alguns com foro privilegiado.

Os itens fazem parte das investigações da 23ª e 26ª fases da operação, nomeadas de Acarajé e Xepa, que investiga desvios de recursos públicos na Petrobras. De acordo com o juiz, é "prematura qualquer conclusão quanto à natureza" dos pagamentos identificados nas planilhas apreendidas na residência do investigado Benedicto Barbosa da Silva Júnior, presidente da Construtora Norberto Odebrecht.

Na última quarta-feira (23), após a divulgação das listas, Moro decretou sigilo sobre os autos. "De todo modo, considerando a apreensão e identificação de tal planilha com Benedicto Barbosa da Silva Júnior, que retratam pagamentos do Grupo Odebrecht a autoridades com foro privilegiado, talvez lícitos, é o caso de remeter este processo e o de nº 5010479-08.2016.4.04.7000, ao Supremo Tribunal Federal", escreveu o juiz.

Notícias relacionadas

[Governo prepara MP para recadastrar armas irregulares]
Política

Governo prepara MP para recadastrar armas irregulares

Por Juliana Rodrigues no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 08:00 em Política

Ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, negou que a medida seja uma forma de anistia: "No governo do PT ninguém nunca chamou de anistia, por que vai chamar no governo do...

[Decreto da arma ignorou sete sugestões de Moro, diz coluna]
Política

Decreto da arma ignorou sete sugestões de Moro, diz coluna

Por Clara Rellstab no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 06:49 em Política

A sugestão de Moro era mais restritiva: previa a posse para duas armas, e não quatro; não prolongava automaticamente registros já concedidos para dez anos e exigia a comp...