Política

Tia Eron diz que Neto "praticamente implorou" para PRB não ter candidato próprio

A deputada federal Tia Eron (PRB) contou em entrevista à Rádio Metrópole, na manhã desta segunda-feira (8), detalhes das negociações entre o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), e a cúpula do seu partido para escolher o nome do candidato a vice-prefeito na chapa de reeleição do democrata. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Divulgação/ PRB

Por Matheus Morais e Gabriel Nascimento no dia 08 de Agosto de 2016 ⋅ 09:35

A deputada federal Tia Eron (PRB) contou em entrevista à Rádio Metrópole, na manhã desta segunda-feira (8), detalhes das negociações entre o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), e a cúpula do seu partido para escolher o nome do candidato a vice-prefeito na chapa de reeleição do democrata. "Nós perguntávamos porque não poderia ser o PRB, já que o PMDB tem algumas questões, inclusive, de telhado de vidro. Uma das preocupações que o prefeito ACM Neto tem. Ele não pode ter problema de escândalo. Se tem uma coisa que pode comprometer essa eleição são essas máculas. Não havia impasse pra emplacar João Roma. Era necessário nos convencer do 'não', dessa negativa. ", afirmou.

De acordo com a deputada, a conversa foi "extremamente exaustiva". "Foi tensa, obviamente. É uma luta, uma peleja, um pleito. Você não vai sorrindo, vai na luta, na disputa, buscar o convencimento, mas sem intransigência. A gente não coloca espada na cabeça de ninguém. Havia alí uma possibilidade", declarou.

"Ele [Neto] de fato, além de nos pedir, ele praticamente nos implorou. Ele não gosta muito que diga isso não, mas em um primeiro momento, ví ele preocupado, dizendo não conseguia dormir. Preocupado com o quê? Ele não queria que nós colocássemos nossa candidatura", acrescentou.

O prefeito ACM Neto acabou escolhendo o deputado estadual Bruno Reis (PMDB) para ser o candidato a vice-prefeito em sua chapa de reeleição. O nome da dupla foi oficializado numa grande convenção, que aconteceu na última sexta-feira (5), no Espaço Unique.

 

Notícias relacionadas

[Procuradoria eleitoral pede cassação de Doria]
Política

Procuradoria eleitoral pede cassação de Doria

Por Alexandre Galvão no dia 19 de Dezembro de 2018 ⋅ 07:40 em Política

Os procuradores calculam que a Prefeitura gastou R$ 52,5 milhões em propaganda no primeiro semestre desta ano, 79% a mais do que a média dos primeiros semestres de 2015