Política

Investigação contra José Carlos Araújo é arquivada pelo STF

O pedido da Procuradoria Geral da República (PGR) para arquivamento do inquérito que apurava um suposto esquema de corrupção envolvendo o presidente do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, José Carlos Araújo (PR), na região do Recôncavo, foi aceito pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Agência Brasil

Por Matheus Morais no dia 17 de Agosto de 2016 ⋅ 08:09

O pedido da Procuradoria Geral da República (PGR) para arquivamento do inquérito que apurava um suposto esquema de corrupção envolvendo o presidente do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, José Carlos Araújo (PR), na região do Recôncavo, foi aceito pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello. A PGR entendeu que não há indícios de que o parlamentar tenha se beneficiado com o suposto esquema de corrupção no Recôncavo. 

 “A descrição de envolvimento do deputado federal José Carlos Araújo em suposto esquema criminoso é feita de forma genérica, deixando de especificar dados relevantes como datas, locais, nomes de envolvidos, valores, entre outras circunstâncias. Ademais, não consta dos autos qualquer indício do suposto desvio de recursos atribuído ao parlamentar federal, não havendo, a princípio, verossimilhança no fato noticiado”, pontuou.

O prefeito e o presidente da Câmara de Vereadores da cidade de São Francisco do Conde, Evandro Almeida e Robson Gomes Portugal, ambos do PP. Pré-candidato pelo PP para prefeitura de Governador Mangabeira, o procurador jurídico Marcelo Pedreira, e o seu tio Milton de Cerqueira Pedreira também estavam sendo investigados. Além deles, a PGR apurava a participação do líder da oposição na Câmara de Mangabeira, vereador Albano Fonseca (PDT), e Fábio Almeida, nos supostos crimes.

Notícias relacionadas