Política

Maia não acredita na falta de quórum para julgamento de Eduardo Cunha

A votação do processo contra o deputado afastado, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), vai acontecer no dia 12 de setembro deste ano. Em entrevista à Rádio Metrópole, nesta terça-feira (23), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), falou sobre a possibilidade de uma manobra para que os parlamentares não comparecessem no dia combinado com os líderes. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução / Agência Brasil

Por Camila Tíssia e Matheus Morais no dia 23 de Agosto de 2016 ⋅ 09:53

A votação do processo contra o deputado afastado, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), vai acontecer no dia 12 de setembro deste ano. Em entrevista à Rádio Metrópole, nesta terça-feira (23), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), falou sobre a possibilidade de uma manobra para que os parlamentares não comparecessem no dia combinado com os líderes. Para o democrata, não terá falta de quórum.

"Ontem nós tivemos próximo de 430 deputados [presentes], com o processo elitoral ainda iniciando. Então tenha certeza que nesse dia [12] teremos a matéria votada e encerrada. É um direito que cabe ao Cunha, tentar esvaziar a sessão, mas não vejo, pelo que escuto dos deputados, a vontade de esvaziar. Vai ter um pouco mais elevado que ontem à noite", afirmou.

Para que a cassação de Cunha seja aprovada, o plenário da Casa precisa dar, pelo menos, 257 votos favoráveis ao parecer do Conselho de Ética contra do ex-presidente da Câmara. O peemedebista é é acusado de quebra de decoro parlamentar por manter contas secretas no exterior e de ter mentido sobre a existência delas em depoimento à CPI da Petrobras em 2015.

Notícias relacionadas