Política

Senadores discutem e Lewandowski interrompe julgamento de Dilma; vídeo

Iniciada na manhã desta quinta-feira (25) no Senado, a sessão do julgamento final da presidente afastada Dilma Rousseff (PT) já foi palco de um bate-boca entre senadores. A discussão começou depois que Gleisi Hoffmann (PT-PR) afirmou que "metade do Senado" não possui "moral" para julgar a petista. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução/Agência Senado

Por Gabriel Nascimento no dia 25 de Agosto de 2016 ⋅ 12:43

Iniciada na manhã desta quinta-feira (25) no Senado, a sessão do julgamento final da presidente afastada Dilma Rousseff (PT) já foi palco de um bate-boca entre senadores. A discussão começou depois que Gleisi Hoffmann (PT-PR) afirmou que "metade do Senado" não possui "moral" para julgar a petista. "Aqui não tem ninguém com condições de acusar ninguém, nem de julgar. Por isso que dizemos que é uma farsa. Qual a moral que vocês têm?", declarou.

Favorável ao impeachment, o líder do Dem Ronaldo Caiado foi o primeiro a rebater, afirmando que nem ele, nem outros senadores eram “assaltantes de aposentados”. Em sua resposta, o parlamentar goiano se referiu ao marido de Gleisi, o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo, preso sob acusação de envolvimento em esquemas de corrupção que teria desviado R$ 100 milhões de funcionários públicos. Gleisi também provocou o senador, afirmando que ele "é [assaltante] de trabalhador escravo", já que Caiado é produtor rural em Goiás.

Veja vídeo:

Notícias relacionadas

[Economista é indicado para assumir Enem]
Política

Economista é indicado para assumir Enem

Por Alexandre Galvão no dia 21 de Janeiro de 2019 ⋅ 15:55 em Política

Teixeira é professor da PUC-Rio nos cursos de graduação e pós-graduação em Administração

[Juiz manda PT baiano devolver mais de R$ 40 mil ]
Política

Juiz manda PT baiano devolver mais de R$ 40 mil 

Por Alexandre Galvão no dia 21 de Janeiro de 2019 ⋅ 09:56 em Política

Nas ações, são citados o presidente do partido na Bahia, Everaldo Anunciação e Ivan Alex Teixeira Lima, secretário de Finanças