Política

“Jamais haverá justiça na minha condenação”, diz presidente afastada

Citando a decisão do Ministério Público Federal (MPF), de se recusar a dar segmento no processo contra a presidente afastada, Dilma Rousseff (PT) afirmou que não tem motivos para ser condenada [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Fotos Públicas

Por Bárbara Silveira e Matheus Morais no dia 29 de Agosto de 2016 ⋅ 10:40

Citando a decisão do Ministério Público Federal (MPF), de se recusar a dar segmento no processo contra a presidente afastada, Dilma Rousseff (PT) afirmou que não tem motivos para ser condenada. “Não é possível que se veja o arbítrio desse processo. Esse impeachment não está com justiça. Está provado que não agi dolosamente em nada. Os atos estavam voltados aos interesses da sociedade. Não trouxe lesão ao patrimônio público", disse.

Dilma afirmou ainda que o processo "está marcado por um clamoroso desvio de poder". "Tem se afirmado que seria legítimo porque os ritos e prazos teriam sido respeitados. Para fazer justiça, a forma só não basta. É necessário que o conteúdo seja justo e jamais haverá justiça na minha condenação. Votarão contra mim de qualquer maneira. [A defesa de nada adianta]. A forma existirá apenas para dar aparência de legitimidade ao que é ilegítimo por essência”, argumentou.

 

Notícias relacionadas

[Economista é indicado para assumir Enem]
Política

Economista é indicado para assumir Enem

Por Alexandre Galvão no dia 21 de Janeiro de 2019 ⋅ 15:55 em Política

Teixeira é professor da PUC-Rio nos cursos de graduação e pós-graduação em Administração