Política

Diretas Já! PT defende realização de eleições antecipadas

Após a decisão pelo afastamento definitivo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), na última quarta-feira (31), o Partido dos Trabalhadores anunciou que vai defender a realização de eleições diretas antecipadas para nomear um novo presidente da República. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Paulo Pinto/Agencia PT

Por Laura Lorenzo no dia 02 de Setembro de 2016 ⋅ 18:15

Após a decisão pelo afastamento definitivo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), na última quarta-feira (31), o Partido dos Trabalhadores anunciou que vai defender a realização de eleições diretas antecipadas para nomear um novo presidente da República. 

"Nosso objetivo central é colocar fim ao governo do usurpador Michel Temer e conquistar o direito do povo eleger, direta e imediatamente, um novo presidente da República", diz a nota do partido, segundo o portal G1. 

"Se antes havia divergências sobre a proposta de antecipação de eleições presidenciais, agora a situação é outra, pois o Estado tem à frente um governo usurpador, ilegítimo, sem votos, com um programa antipopular e antinacional", informava o comunicado.

O partido disse também que “a recuperação da legalidade e o restabelecimento da democracia, nessas condições, somente se efetivarão quando as urnas voltarem a se pronunciar e o povo decidir os caminhos da Nação. O que exige construir uma ação conjunta e iniciativas práticas com partidos e entidades populares, capazes de mobilizar e dar efetividade a este objetivo rumo à normalização democrática, como a diretas já".

Ainda de acordo com a nota, a Comissão Executiva Nacional "conclama deputados federais petistas para entrarem em acordo com as demais bancadas democráticas a fim de exigirem, já no dia 12 de setembro, a cassação do mandato do corrupto Eduardo Cunha".

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o senador Humberto Costa (PT-PE) e o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) estavam presentes na reunião em que a decisão foi tomada. As próximas eleições que definem um presidente para o Brasil estão programadas para 2018. 

Notícias relacionadas