Política

Pedido para afastamento de Cunha deve ficar para outubro, afirma Geddel

Inicialmente prevista para setembro, a decisão sobre a cassação do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), só deve conhecida após as eleições de outubro. Ministro da secretaria de governo de Temer, Geddel Vieira Lima afirmou, em entrevista à Rádio Metrópole nesta segunda-feira (5), que pediu o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (PMDB) para deixar a decisão para depois das eleições municipais [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Divulgação/Câmara dos Deputados

Por Bárbara Silveira e Matheus Morais no dia 05 de Setembro de 2016 ⋅ 09:04

Inicialmente prevista para setembro, a decisão sobre a cassação do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), só deve conhecida após as eleições de outubro. Ministro da secretaria de governo de Temer, Geddel Vieira Lima afirmou, em entrevista à Rádio Metrópole nesta segunda-feira (5), que pediu o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (PMDB) para deixar a decisão para depois das eleições municipais. 

“O Cunha é um problema do Congresso Nacional. Se ele vai ser expulso ou não, eu não sei. Essa eleição é muito curta, não tem nenhum acordo feito pelo governo para aprovar Cunha. Para manter quórum na Câmara está difícil. Eu pedi para que Maia deixasse essa votação para depois das eleições”, disse. Apesar das críticas, Geddel lembrou que ajudou a eleger Cunha para o cargo. “O problema é o que ele fez depois. A mesma coisa foi com José Dirceu”, justificou. 

 

Notícias relacionadas