Política

Líder do PT na Câmara rebate Geddel: "Lero-lero é dizer que não é golpe"

O líder do PT na Câmara dos Deputados, Afonso Florence (PT), rebateu a declaração do ministro-chefe da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, que afirmou em entrevista à Rádio Metrópole, na segunda-feira (5) que chamar o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) de "golpe" é lero- lero". [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Agência Câmara

Por Matheus Morais e Gabriel Nascimento no dia 06 de Setembro de 2016 ⋅ 09:51

O líder do PT na Câmara dos Deputados, Afonso Florence (PT), rebateu a declaração do ministro-chefe da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, que afirmou em entrevista à Rádio Metrópole, na segunda-feira (5) que chamar o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) de "golpe" é lero- lero". Também em entrevista à Metrópole, só que na manhã desta terça-feira (6), Florence disse que lero-lero é dizer que não é "golpe". "Lero-lero é ele dizer que o governo que se instalou sem voto direto através de um impeachment sem crime, sustentado pela base de Eduardo Cunha, que adia a votação contra Cunha, com provas robustas de centenas de milhões da Petrobras, lero-lero é dizer que não é golpe", ressaltou. 

Ainda de acordo com Florence, o próprio Geddel Vieira Lima defendeu a retirada de direitos previdenciários e trabalhistas. "Um governo que chegou ao poder com um golpe, com apoio de Cunha, quer tirar outros direitos, como Bolsa Família. Lero-lero é ele tentar convencer que um golpe tão escancarado não é golpe", completou. 

Notícias relacionadas