Política

Aliados fazem pressão para que Eduardo Cunha renuncie; peemedebista resiste

De acordo com o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB) recebeu aliados para traçar uma estratégia para a votação que pode sacramentar sua cassação no Congresso Nacional, na noite desta segunda-feira (12). Entre os integrantes da tropa de choque de Cunha estavam os deputados Artur Lira e Aguinaldo Ribeiro, ambos envolvidos na Lava-Jato.Segundo Jardim, a reunião aconteceu no escritório de um dos advogados de Cunha, Renato Oliveira Ramos, que o defende em diversos processos e a quem Cunha deu um cargo quando era presidente da Câmara. Nas conversas, a ideia da renúncia de Cunha ganhou força entre os aliados, no entanto, o deputado resistiu aos apelos. A renúncia, de acordo com os deputados aliados, embaralharia a votação de hoje e ajogaria para depois das eleições.

[Imagem not found]
Foto : Agência Câmara

Por Matheus Morais no dia 12 de Setembro de 2016 ⋅ 11:39

De acordo com o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB) recebeu aliados para traçar uma estratégia para a votação que pode sacramentar sua cassação no Congresso Nacional, na noite desta segunda-feira (12). Entre os integrantes da tropa de choque de Cunha estavam os deputados Artur Lira e Aguinaldo Ribeiro, ambos envolvidos na Lava-Jato.

Segundo Jardim, a reunião aconteceu no escritório de um dos advogados de Cunha, Renato Oliveira Ramos, que o defende em diversos processos e a quem Cunha deu um cargo quando era presidente da Câmara. Nas conversas, a ideia da renúncia de Cunha ganhou força entre os aliados, no entanto, o deputado resistiu aos apelos. A renúncia, de acordo com os deputados aliados, embaralharia a votação de hoje e a  jogaria para depois das eleições.

Notícias relacionadas