Política

Rui cancela contrato com três empresas terceirizadas da educação estadual

O governador Rui Costa (PT) decidiu, na tarde desta quarta-feira (14), cancelar o contrato com três empresas terceirizadas que não cumpriram com o pagamento de direitos trabalhistas de cerca de 7.500 colaboradores que prestam serviço em escolas públicas da Bahia, o que acabou levando à interrupção das aulas nas instituições. “Toda vez que uma empresa não cumpre com sua obrigação, nós temos interrupções nas escolas, isso é inadmissível”, afirmou o petista. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira /Metropress

Por Laura Lorenzo no dia 14 de Setembro de 2016 ⋅ 18:45

O governador Rui Costa (PT) decidiu, na tarde desta quarta-feira (14), cancelar o contrato com três empresas terceirizadas que não cumpriram com o pagamento de direitos trabalhistas de cerca de 7.500 colaboradores que prestam serviço em escolas públicas da Bahia, o que acabou levando à interrupção das aulas nas instituições. “Toda vez que uma empresa não cumpre com sua obrigação, nós temos interrupções nas escolas, isso é inadmissível”, afirmou o petista.  

Segundo o governador, os profissionais serão contratados pelo  Regime Especial de Direito Administrativo (REDA), priorizando  aproveitar quem já atua nas unidades.  "Eu não poderia aceitar mais a persistência desta inadimplência e desta falta de compromisso no cumprimento das obrigações das empresas", declarou Rui, lembrando que as empresas devem estar enquadradas na Lei Antecalote. Ele salientou ainda que as empresas que descumrpirem suas obrigações serão igualmente cortadas da lista de terceirizadas. Apesar de não terem sido divulgadas, a Metrópole apurou que uma das empresas que teve o contrato cancelado foi a TecServ. 

Uma nova licitação já havia sido feita no início do ano, recrutando novas empresas para a prestação de serviço nas escolas estaduais da Bahia. Segundo Rui, da lista de terceirizadas contratadas, apenas essas três não cumpriram com o seu trabalho.

 Ainda de acordo com o petista, a nova forma de contratação garantirá "um tratamento digno e respeitoso àqueles que cuidam das nossas escolas", porque os trabalhadores passarão a receber os salários diretamente do Governo, com data assegurada e outras garantias, sem mais atrasos ou outros transtornos. Além disso, Rui assegurou que as escolas não terão mais problemas de funcionamento.

Notícias relacionadas